FRIHOSTFORUMSSEARCHFAQTOSBLOGSCOMPETITIONS
You are invited to Log in or Register a free Frihost Account!


Religiao Entre os Brasileiros Internautas.






Qual Sua Denominação Religiosa
Cristao - Catolico
25%
 25%  [ 2 ]
Cristao - Protestante
50%
 50%  [ 4 ]
Espirita
12%
 12%  [ 1 ]
Islãmismo
0%
 0%  [ 0 ]
Budista
12%
 12%  [ 1 ]
Total Votes : 8

matheus_controle
esta enquete e para se ter uma % de pessoas nesse conceito religioso, essas estatisticas estao dentro de plano para se saber somente sobre as pessoas brasileiras que estao na net.
facool
Tema muito complicado pra gente discutir aqui no fórum hein
cparakawa
Tão péssimas as opções.

No Cristianismo, faltam os Ortodoxos Gregos. E, na minha opinião, neo-pentecostais (IURD, Renascer, etc) não são protestantes (históricos: luteranos, batistas, anglicanos, etc). Muitos protestantes acham o mesmo. Testemunhas de Jeová são cristãos mas se consideram escolhidos, não iriam gostar de se misturar na "ralé" do Cristianismo.

Não consta o hinduísmo (quase um bilhão no mundo), embora no Brasil seja traço estatístico.

Não existe opção pra ateus e agnósticos. E nem pras N variações de gnósticos. E são representativos no Brasil.

Não existe opção pra religiões de origem afro (camdomblé, umbanda, quimbanda).

Não existe opção pro shintoísmo. Religião de mais de 90% do Japão (misturada com o Budismo em boa parte do Brasil). Eu tenho certeza que são alguns milhões no Brasil. Qualquer descendente de japonês que profece algum tipo de culto aos mortos é ligado ao shintoísmo. Isto não é budismo, é totalmente errada a idéia de que religião de japonês é budismo.

E não tem a opção dos heterodoxos, gente que segue pelo sincretismo religioso. Que é a maioria dos brasileiros. Gente que vai na Igreja, no terreiro, faz simpatia, recebe passe no centro espírita, oferenda à Iemanjá, etc.

Esta enquete deveria ser muito ampla. Acho que não funciona assim. Era mais fácil perguntar se a pessoa acredita em Deus e o que é Deus. Já dava bastante discussão e ia ser bem divertido. Twisted Evil
matheus_controle
facool wrote:
Tema muito complicado pra gente discutir aqui no fórum hein
sei que é, por isso busco estatistica, nao as do mundo inteiro mais dos que estao na net, por isso eu deixo o meu muito obrigado pela sua participação e pelo seu voto.
matheus_controle
cparakawa wrote:
Tão péssimas as opções.

No Cristianismo, faltam os Ortodoxos Gregos. E, na minha opinião, neo-pentecostais (IURD, Renascer, etc) não são protestantes (históricos: luteranos, batistas, anglicanos, etc). Muitos protestantes acham o mesmo. Testemunhas de Jeová são cristãos mas se consideram escolhidos, não iriam gostar de se misturar na "ralé" do Cristianismo.

Não consta o hinduísmo (quase um bilhão no mundo), embora no Brasil seja traço estatístico.

Não existe opção pra ateus e agnósticos. E nem pras N variações de gnósticos. E são representativos no Brasil.

Não existe opção pra religiões de origem afro (camdomblé, umbanda, quimbanda).

Não existe opção pro shintoísmo. Religião de mais de 90% do Japão (misturada com o Budismo em boa parte do Brasil). Eu tenho certeza que são alguns milhões no Brasil. Qualquer descendente de japonês que profece algum tipo de culto aos mortos é ligado ao shintoísmo. Isto não é budismo, é totalmente errada a idéia de que religião de japonês é budismo.

E não tem a opção dos heterodoxos, gente que segue pelo sincretismo religioso. Que é a maioria dos brasileiros. Gente que vai na Igreja, no terreiro, faz simpatia, recebe passe no centro espírita, oferenda à Iemanjá, etc.

Esta enquete deveria ser muito ampla. Acho que não funciona assim. Era mais fácil perguntar se a pessoa acredita em Deus e o que é Deus. Já dava bastante discussão e ia ser bem divertido. Twisted Evil

Eu acredito que esses religioes sao maioria aqui no brasil. Me responde voce ja conversou com uma pessoa praticante do hinduismo? voce e testemunha de Jeova? outra coisa camdomble, humbanda, quimbanda se encaixa muito bem no espiritismo tudo e magia e ocultimo adoração de santo. olha voce me parece ser um cara entendido por isso eu ja fico satisfeito da sua participação. obrigado!!!
Lviter
A religiosidade de cada um ou até mesmo a não existência dela é algo muito cheio de nuances, muito individual, muito além mesmo do que possamos afirmar através da mera adesão a um gupo ou sistema de crenças.

Cada vez mais me convenço que rótulos religioso não levam a lugar algum, só nos dividem. Fico com a frase do Dalai Lama: a melhor religião é aquela que te faz uma pessoa melhor. E procuro respeitar todas as opções. Mas creio que seja fundamental para cada uma conduzir às pessoas e o mundo a transformações positivas e neste ponto acho que quase todas tem falhado...
cparakawa
matheus_controle wrote:
Eu acredito que esses religioes sao maioria aqui no brasil. Me responde voce ja conversou com uma pessoa praticante do hinduismo? voce e testemunha de Jeova? outra coisa camdomble, humbanda, quimbanda se encaixa muito bem no espiritismo tudo e magia e ocultimo adoração de santo.


Já conversei sobre religião com indiano praticante do hinduísmo, com judeu de israel, com árabe muçulmano. É interessante ver o ponto de vista dos outros. Fortalece a sua religiosidade ou faz vc repensar conceitos. Não sou Testemunha de Jeová, passo. Espiritismo é um termo muito genérico. Kardecista é considerado espírita no Brasil, mas tem base cristã, acredita em Deus, Bíblia, anjos e tal. Nas religiões afro, vc tem uma ligação mais forte com os espíritos que habitam nesta esfera.

Lviter wrote:
A religiosidade de cada um ou até mesmo a não existência dela é algo muito cheio de nuances, muito individual, muito além mesmo do que possamos afirmar através da mera adesão a um gupo ou sistema de crenças.

Cada vez mais me convenço que rótulos religioso não levam a lugar algum, só nos dividem. Fico com a frase do Dalai Lama: a melhor religião é aquela que te faz uma pessoa melhor. E procuro respeitar todas as opções. Mas creio que seja fundamental para cada uma conduzir às pessoas e o mundo a transformações positivas e neste ponto acho que quase todas tem falhado...


Eu acho que a espiritualidade muda muito a forma como vc encara a vida. A própria definição de Deus muda sua forma de encarar a vida. Vc pode achar que Deus é bom, Deus é justo, Deus é punidor, Deus não está nem aí, Deus não existe, Deus criou o Universo e vc é uma das engrenagens dele, Deus é natureza, etc. Isto influi muito na forma de vc agir e na moral interior. E, em boa parte, independe de religião/denominação que vc segue ou pertence.

Na minha opinião, as religiões muito mais atrapalham do que ajudam a humanidade. Mas, individualmente, a espiritualidade pode lhe tornar "melhor" (determinado, confiante, atuante, etc). Pra mim, a grande questão é "manipular" e canalizar minha espiritualidade para fazer minha vida melhor - e que eu me sinta melhor. Se vc não força os outros a acreditar nas suas próprias crenças, acho que já é um bom primeiro passo.

[]'s
D'Artagnan
Religião, futebol e opção sexual eu não discuto...
Eu sou mais da filosofia imagine do john lennon... que a letra fale por mim...

Se é para dados estatisticos, eu fui catolico.
Vanilla
Não posso votar nessa enquete, não tem a opção "agnóstico"! E muito menos "ateu".
Tá meio pobrinha de opções.
Gilgamesh
Católico de formação, não vou mais a igreja.
Espirita de familia, não vou a centros.
Budista por identificação.

Mas eu não sou nenhum destes, minha opção é agnosticismo, eu prefiro acreditar em algumas coisas de algumas religiões, claro, sempre com uma gota de dúvida. E não me submeto a nenhuma igreja, nem às idéias de qualquer outro ser humano, seja pastor, padre, monge, lama, etc..

Gosto de seguir minha própria religião individualmente, e não um caminho previamente traçado.

Acho que você deveria colocar mais opções nesta enquete, pois ela não será uma pesquisa como você quer, se não abranger pelo menos a maioria. Você não pode ignorar as religiões que o cparakawa falou, pois tem inúmeros seguidores
cparakawa
Faltou uma religião importantíssima, que é a da minha assinatura.

http://www.dailymail.co.uk/pages/live/articles/news/news.html?in_article_id=416761&in_page_id=1770

Quarta maior religião do Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte, dezenas de milhares de seguidores em diversos países.

Existem religiões que se baseiam em um monte de livros de origem incerta, religiões baseadas só em tradição oral que se deturpou com o tempo, religiões baseadas em fenômenos da natureza e por aí vai. Por quê não pode existir uma baseada numa tripla trilogia cinematográfica?

Tem tbm a Igreja do Maradona, mas esta é melhor nem considerar. Evil or Very Mad
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2002/021108_maradonalmp.shtml Evil or Very Mad



É impossível fazer uma listagem completa. Ah é, tem tbm os adoradores do Tux. Rolling Eyes
rvbarreto
Sou Cristão, Católico Apostólico Romano.Não sou um grande estudioso no assunto nem um frequentador assíduo de missas, por mais que gostasse de ser um pouco mais. Ainda assim, com o que leio ou estudo, sempre vejo padres, entendidos no assunto, e palavras da bíblia dizendo que acima de tudo, Deus é amor.

Muitas grandes religiões tem esse ponto de intersseção. Apesar de terem doutrinas, histórias e ritos muito diferentes, tem como pilar central um Deus que, a meu ver, parece o mesmo. Um Deus de amor.

Crer em um Deus de amor, como já foi dito anteriormente, faz com que se cresça interiormente e se perceba melhor o mundo ao seu redor, para que assim, você possa tentar fazer a sua parte de um modo melhor.

O antigo Papa João Paulo II, do qual tenho saudadaes quando penso no Papa atual, procurou várias vezes levantar a idéia de que "Adoramos o mesmo Deus, por meios diferentes" e por meio dessas gerar uma convivencia mais harmônica entre todos os credos, uma vez que a essência é a mesma.

A meu modo, eu procuro valorizar toda religião que proporcione ao indivíduo um caminho para, através de boas ações, melhorar o mundo para o próximo, independente da religião do próximo. Valorizo também os Ateus ou Agnósticos que tem essa consciência mesmo sem uma religião e trabalham com seus próprios conceitos por um mundo melhor. Escolhi o Cristianismo não por achar que é a certa, mas por acreditar em Jesus Cristo. Escolher a religião vem de cada um, o importante é o que se desenvolve a partir dela em você.

Ricardo Viana
cparakawa
Eu gosto deste tipo de assunto, a gente fala, fala e não chega em conclusão nenhuma. Very Happy

Eu já fui católico altamente praticante (Legião de Maria) e acreditava que Deus é amor (não é a igreja do Davi Miranda). Só que conhecimento destrói a maior parte das religiões. Rolling Eyes

O Deus do velho testamento é justo, não é amor. Caso contrário, ele não soltava pragas por aí, inundava o mundo, destrói cidades, expulsa gente/anjo do paraíso, etc. O judaísmo se baseia nisto. E mesmo passagens no novo testamento corroboram a idéia. O apocalipse/revelação é um dos piores no aspecto, se Deus fosse amor todo mundo ia pro céu, ou ele ia criar um programa intensivo de aprimoramento pra pessoa passar no vestibular do céu. Só que não é isto que dizem os "livros". Pelo que eu entendo (cada um lê a Bíblia como quiser), vc tem que ter duas coisas: fé e amor no coração. Mas Deus não tem isto, é por isto que vai chegar o fim dos tempos e a grande maioria vai queimar no inferno. Shocked

Considerando que Deus existe e que ele se preocupa cotidianamente com a gente, é mais decente por parte Dele ser justo do que ser amor. Não misturar as laranjas podres com as boas, embora tentando fazer as laranjas podres ficarem boas. Ele poderia ser muito amoroso e abrigar toda a humanidade em sua morada, lá do outro lado. Só que ia ser injusto pra quem é realmente bom, pois afinal ia ser uma zona. Deus tem que manter a ordem na casa. Se vai todo mundo ser "salvo", pra quê ficar lendo Bíblia/sendo religioso, sendo bondoso, caridoso, desapegado aos bens materiais e tal?

Eu tenho um péssimo vício que é achar que existe explicação lógica pra tudo. E procurar por ela. Busca por conhecimento em termos espirituais acaba virando gnosticismo, mesmo que vc tenha uma "religião base". Pra seguir uma religião com afinco, esqueça duas coisas: conhecimento coerente e lógica. Não adianta espernear, vai sempre chegar naquele ponto em que vc tem que ir na fé pura. Ou inventar um remendo para as coisas fazerem sentido.
Lviter
cparakawa wrote:
O Deus do velho testamento é justo, não é amor. Caso contrário, ele não soltava pragas por aí, inundava o mundo, destrói cidades, expulsa gente/anjo do paraíso, etc. O judaísmo se baseia nisto. E mesmo passagens no novo testamento corroboram a idéia.


Não é que Deus fosse (ou seja) assim. A concepção que havia Dele na época (ainda hoje?) é que era essa: Um deus que mandava entrar em um cidade e arrasar tudo e todos, incluindo crianças e animais.

Uma das maiores revoluções propostas pelo Cristianismo, em particular, é o rompimento radical desta visão (que não é exclusividade dos judeus). Jesus desenha um Deus que nos ensina a amar nossos inimigos e oferecer a outra face quando confrontados. Coisa nada fácil de se fazer, realmente. Um dos poucos que colocou este preceito em prática, ironicamente, não foi um cristão nominal: Gandhi.

Aprisionamos Deus a nossas limitações e preconceitos ainda hoje, como era antes. E assim, "em nome de deus", em todos os tempos, foram cometidos terríveis crimes e massacres. Culpa Dele? Não, culpa nossa. A conclusão a que cheguei é que se Deus não fosse bom conosco, já teríamos sumido do planeta há mais tempo. Pelo menos é o que merecemos.

cparakawa wrote:

Pelo que eu entendo (cada um lê a Bíblia como quiser), vc tem que ter duas coisas: fé e amor no coração. Mas Deus não tem isto, é por isto que vai chegar o fim dos tempos e a grande maioria vai queimar no inferno. Shocked


Apesar do meu pessimismo quanto aos seres humanos, nunca consegui entender como justa a possibilidade do inferno, ou pelo menos de um inferno eterno. Por outro lado, é necessário que o mal não permaneça impune. Como fazer? Esta é uma questão teológica muito polêmica, relacionada a outras também complexas: a natureza de Deus, o livre arbítrio e as causas do sofrimento humano. (Podemos discutir em outro post ou tópico, se quiser. Smile )

cparakawa wrote:
Deus tem que manter a ordem na casa. Se vai todo mundo ser "salvo", pra quê ficar lendo Bíblia/sendo religioso, sendo bondoso, caridoso, desapegado aos bens materiais e tal?


Talvez porque essa fosse a proposta para a qual fomos criados: para ser bons. Esta seria nossa verdadeira natureza intrínseca, só que alguma coisa deu errado no plano. Quanto a religiosidade, qualquer que seja, é só uma ferramenta, não um fim em si mesma. Religião sem ética é pura hipocrisia.

cparakawa wrote:
Eu tenho um péssimo vício que é achar que existe explicação lógica pra tudo. E procurar por ela. Busca por conhecimento em termos espirituais acaba virando gnosticismo, mesmo que vc tenha uma "religião base". Pra seguir uma religião com afinco, esqueça duas coisas: conhecimento coerente e lógica. Não adianta espernear, vai sempre chegar naquele ponto em que vc tem que ir na fé pura. Ou inventar um remendo para as coisas fazerem sentido.


Devem existir explicações para tudo. Só que não somos capazes de apreendê-las. Com o pouco conhecimento que temos já somos capazes de acabar com o planeta várias vezes. E se soubéssemos ainda mais?
cparakawa
Lviter wrote:
cparakawa wrote:
O Deus do velho testamento é justo, não é amor. Caso contrário, ele não soltava pragas por aí, inundava o mundo, destrói cidades, expulsa gente/anjo do paraíso, etc. O judaísmo se baseia nisto. E mesmo passagens no novo testamento corroboram a idéia.


Não é que Deus fosse (ou seja) assim. A concepção que havia Dele na época (ainda hoje?) é que era essa: Um deus que mandava entrar em um cidade e arrasar tudo e todos, incluindo crianças e animais.

Uma das maiores revoluções propostas pelo Cristianismo, em particular, é o rompimento radical desta visão (que não é exclusividade dos judeus). Jesus desenha um Deus que nos ensina a amar nossos inimigos e oferecer a outra face quando confrontados. Coisa nada fácil de se fazer, realmente. Um dos poucos que colocou este preceito em prática, ironicamente, não foi um cristão nominal: Gandhi.

Aprisionamos Deus a nossas limitações e preconceitos ainda hoje, como era antes. E assim, "em nome de deus", em todos os tempos, foram cometidos terríveis crimes e massacres. Culpa Dele? Não, culpa nossa. A conclusão a que cheguei é que se Deus não fosse bom conosco, já teríamos sumido do planeta há mais tempo. Pelo menos é o que merecemos.


Vc coloca um problema sério, que é a análise histórica. Antigamente eu olhava com este tipo de viés, antes de Jesus (judaísmo) e depois dele (cristianismo). O velho testamento, pra quem leu pelo menos uma boa parte, não demostra um Deus de amor. A história de Jó é bem notável no aspecto.

A partir do momento que as igrejas cristãs aceitam o velho testamento como livros sagrados, fica difícil tapar o sol com a peneira. Por quê Deus (Elohim/Jeová/YHVH/Demiurgo/etc) exige um monte de coisas do povo judeu? E é o povo escolhido, escolhido pra se ferrar ... E o mesmo Deus, enviando Jesus, é pura bondade e caridade? Vc pode ter interpretações diferentes sobre os textos bíblicos, mas algumas coisas são "preto no branco".

Desta diferença da interação divina no velho e no novo testamento vc pode tirar várias teorias malucas. Uma é a que Deus era mais "durão" no começo porque a humanidade era como uma criança muito pequena. Não seria fácil explicar que não se pode dar banho no gato na máquina de lavar ou secá-lo no microondas. Por isto a maior parte dos 10 mandamentos é baseado em não faça isto e não faça aquilo. A vinda de Jesus marca uma espécie de adolescência, em que vc tem que ser mais "amigão". Pra quem acredita na Kabbalah/Sephiroth, seriam ações de dois arcanjos/sephirahs/anjos diferentes: Gabriel (Gebburah) que representa força - faça e não reclame - e Miguel (Chessed) - compaixão e bondade.

Ou vc pode pensar que Deus era mais presente no dia-a-dia antigo, mas após enviar Jesus ele simplesmente desencanou da humanidade. Afinal de contas, fazem mais de 2.500 anos que os judeus não vêem um grande profeta - e até então estes apareciam em períodos relativamente curtos.

O cristianismo, enquanto religião, fez muita besteira e continua fazendo. Os ensinamentos de Jesus, que podem ser conferidos nos 4 evangelistas, tornariam a humanidade muito melhor. Já que vc citou Ghandi, este disse que toda a parte boa do cristianismo pode ser vislumbrada no Sermão da Montanha.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:

Pelo que eu entendo (cada um lê a Bíblia como quiser), vc tem que ter duas coisas: fé e amor no coração. Mas Deus não tem isto, é por isto que vai chegar o fim dos tempos e a grande maioria vai queimar no inferno. Shocked


Apesar do meu pessimismo quanto aos seres humanos, nunca consegui entender como justa a possibilidade do inferno, ou pelo menos de um inferno eterno. Por outro lado, é necessário que o mal não permaneça impune. Como fazer? Esta é uma questão teológica muito polêmica, relacionada a outras também complexas: a natureza de Deus, o livre arbítrio e as causas do sofrimento humano. (Podemos discutir em outro post ou tópico, se quiser. Smile )


Eu acredito na teoria do ClockMaker (o relojoeiro). Deus criou um mundo que funciona (como um relógio suiço) e dá assistência por um tempo. Depois, é problema do usuário. Como a humanidade é egoísta e imbecil (a maior parte, grosso modo), só podia dar nos absurdos que vemos. Se Deus vai fazer um recall é outra história.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Deus tem que manter a ordem na casa. Se vai todo mundo ser "salvo", pra quê ficar lendo Bíblia/sendo religioso, sendo bondoso, caridoso, desapegado aos bens materiais e tal?


Talvez porque essa fosse a proposta para a qual fomos criados: para ser bons. Esta seria nossa verdadeira natureza intrínseca, só que alguma coisa deu errado no plano. Quanto a religiosidade, qualquer que seja, é só uma ferramenta, não um fim em si mesma. Religião sem ética é pura hipocrisia.


Eu acredito mais que nós somos porções de energia impuras, desgarradas de um ponto central de pureza (Deus). Nesta situação, cabe a nós escolher se aproximar mais de Deus (tornando-nos mais puros), ficar aonde estamos ou piorar. E acredito tbm que existem diversos níveis de existência, de acordo com a nossa situação espiritual. Lembra reencarnacionismo?

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Eu tenho um péssimo vício que é achar que existe explicação lógica pra tudo. E procurar por ela. Busca por conhecimento em termos espirituais acaba virando gnosticismo, mesmo que vc tenha uma "religião base". Pra seguir uma religião com afinco, esqueça duas coisas: conhecimento coerente e lógica. Não adianta espernear, vai sempre chegar naquele ponto em que vc tem que ir na fé pura. Ou inventar um remendo para as coisas fazerem sentido.


Devem existir explicações para tudo. Só que não somos capazes de apreendê-las. Com o pouco conhecimento que temos já somos capazes de acabar com o planeta várias vezes. E se soubéssemos ainda mais?


A partir do momento que Adão e Eva provaram do fruto proibido (advindo da árvore do conhecimento, melhor explicado no Livro dos Mortos egípcios, chupinhado no Gênesis), passamos a ter conhecimento: lívre arbítrio e opção pelo "bem" ou pelo "mal". Por causa disto, a humanidade "simbolicamente" sofreu uma ação de despejo do Éden. Neste ponto existe uma lógica muito forte na ação pró-retardamento mental de certas igrejas: fomos expulsos por adquirirmos conhecimento e livre-arbítrio, se nós abrirmos mão disto talvez Deus nos aceite de volta.

Quanto à sua questão, se soubéssemos ainda mais poderíamos ter uma sociedade ainda mais polarizada entre aqueles que tem conhecimento (e sabem utilizá-lo) e o povão parvo massa de manobra. De fato, isto já existe. O fato de sermos capazes de nos destruirmos várias vezes não quer dizer que vamos fazê-lo. E só houve um momento da história em que isto esteve próximo, porque JFK era louco e inconseqüente. E, na minha opinião, este foi um dos principais motivos pra ele ter virado "história" numa ampla conspiração em que só rodou um laranja.

São só 3 países com capacidade de destruição mundial (USA, Russia e China) e nenhum dos 3 quer saber da opção, mesmo considerando o governo Bush. Todos estes governos são controlados, direta ou indiretamente, por pessoas inteligentes e com os pés no chão. Não são perfeitas. Mas pessoas inteligentes e realistas ao menos se respeitam, na maioria das vezes fazem acordos e se aliam. Quem quer apertar o "botão vermelho" é muito burro ou muito louco. Mesmo na zona de conflito permanente e com potencial nuclear, isto nunca esteve próximo. Paquistão x Índia. Mas se for criado o grande califado terrorista, aí eu passo a acreditar em auto-destruição parcial da humanidade. Shocked

[]'s
prassis13
As pessoas por si só acreditam em algo e abraçam e defendem cada um a sua causa (religião) sem assim mesmo pessoas de níveis elevados sempre iriam tentar fortalece a sua opinião...

Eu privo por um HOMEM , livre , natural e principalmente voltad0 a conhecer a natura seu criador (caso ele acredite ) e principalmente se as pessoas refletirem no seu dia a dia e ao seu redor e principalemtne pelas coisa que acontencem viriam que a própria natureza vive em harmonia no seu dia a dia e por isso obedece ao seu criador . exemplo :

Uma semente cai, gemina , cresce , e morre
Um animal nasce, vice, come outro , ou outro lhe come e o cilo não se esgota.

O Homem , nasce , crece , é manipulado pela mídia ou pessoas e se tiver sorte em ser e ter uma personalidade própria e refletida em DEUS , criador ou como melhor em acreditar , iria ser um ser superior , afinal por estão aqui , SE NÃO MUDAR-MOS NOSSA ATITUDE INTERIRO E AVANÇARMOS PARA TENTAR-MOS pelo menos uma parcela da perfeição no amor e fraternidade , nunca poderemos falar que somos seguidores de algo supeior se qunado toma -mos atitutdes egoísta para sustenta nosso próprio ego ....

HOMENS ................................
matheus_controle
prassis13 wrote:
As pessoas por si só acreditam em algo e abraçam e defendem cada um a sua causa (religião) sem assim mesmo pessoas de níveis elevados sempre iriam tentar fortalece a sua opinião...

Eu privo por um HOMEM , livre , natural e principalmente voltad0 a conhecer a natura seu criador (caso ele acredite ) e principalmente se as pessoas refletirem no seu dia a dia e ao seu redor e principalemtne pelas coisa que acontencem viriam que a própria natureza vive em harmonia no seu dia a dia e por isso obedece ao seu criador . exemplo :

Uma semente cai, gemina , cresce , e morre
Um animal nasce, vice, come outro , ou outro lhe come e o cilo não se esgota.

O Homem , nasce , crece , é manipulado pela mídia ou pessoas e se tiver sorte em ser e ter uma personalidade própria e refletida em DEUS , criador ou como melhor em acreditar , iria ser um ser superior , afinal por estão aqui , SE NÃO MUDAR-MOS NOSSA ATITUDE INTERIRO E AVANÇARMOS PARA TENTAR-MOS pelo menos uma parcela da perfeição no amor e fraternidade , nunca poderemos falar que somos seguidores de algo supeior se qunado toma -mos atitutdes egoísta para sustenta nosso próprio ego ....

HOMENS ................................

tambem acho que devemos debater religiao sim, quem é que nao gostaria de saber mais sobre o seu criador? será que essa perfeição toda do universo é simplesmente acaso, será que nao temos um ser acima de nos que projetou e criou tudo isso? olha queridos irmaos Deus nos amou de tal maneira que mandou seu filho unigenito para morrer por mim e por você e nisso que eu acredito e respeito a opnião de todos vocês, o que cada um de nos quer, é que, quando chegar a hora da morte tenhamos um lugar junto ao criador.
Lviter
cparakawa wrote:
Antigamente eu olhava com este tipo de viés, antes de Jesus (judaísmo) e depois dele (cristianismo). O velho testamento, pra quem leu pelo menos uma boa parte, não demostra um Deus de amor. A história de Jó é bem notável no aspecto.


A premissa inicial seria: Deus, enquanto ser perfeito e eterno, é também imutável. Assim nossa percepção dele é que amadureceria de um deus vingativo e cruel que exige sangue, para um pai amoroso e perdoador. Projetamos em Deus aquilo que desejamos ou tememos e, por assim dizer, Deus "passar a ser" para cada um aquilo que se quer que Ele seja. O que não quer dizer que Ele seja realmente como imaginamos. E nem mesmo nos assegura que Ele exista...

O livro de Jó não traz respostas, apenas perguntas que nos fazemos ainda hoje:
- Por que e para que sofremos, mesmo quando não parecemos merecer?
- Por que Deus permite que exista dor e morte?
- Por que Deus consente que exista o Mal e que ele atue sobre nós?

Nenhuma destas questões são respondidas, apenas somos confrontados com nossa própria pequenez humana representada em Jó. Mas ao final de seu sofrimento, antes que fosse reerguido, Jó faz uma interessante reflexão: "antes te conhecia apenas de ouvir falar, mas agora meus olhos lhe veem".

cparakawa wrote:
Eu acredito mais que nós somos porções de energia impuras, desgarradas de um ponto central de pureza (Deus). Nesta situação, cabe a nós escolher se aproximar mais de Deus (tornando-nos mais puros), ficar aonde estamos ou piorar. E acredito tbm que existem diversos níveis de existência, de acordo com a nossa situação espiritual. Lembra reencarnacionismo?


A doutrina da reencarnação parece responder muitas das perguntas acima. Mas parte da premissa cármica, o que provoca pontos conflitantes com as perspectivas da graça e do perdão: se fomos perdoados e aprendemos a lição devida, por que precisamos sofrer ainda mais? E o que ganhamos se sofremos pelo que não sabemos que fizemos a nível consciente? por que Deus permite ao homem a escolher o mal? Não poderia ter nos criado todos "perfeitos"?

cparakawa wrote:
Neste ponto existe uma lógica muito forte na ação pró-retardamento mental de certas igrejas: fomos expulsos por adquirirmos conhecimento e livre-arbítrio, se nós abrirmos mão disto talvez Deus nos aceite de volta.


Esta é uma leitura, sem dúvida. Mas outra ainda pode ser proposta quanto ao mito do paraíso perdido: o que escolhemos a partir do momento em que temos o conhecimento do bem e do mal?


cparakawa wrote:
O fato de sermos capazes de nos destruirmos várias vezes não quer dizer que vamos fazê-lo.


Mas quer dizer que esta é uma possibilidade concreta. Hiroshima e Nagasaki ainda estão bem recentes na História da Humanidade. Aliás a História é pontuada basicamente pela matança mútua entre humanos.
cparakawa
Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Antigamente eu olhava com este tipo de viés, antes de Jesus (judaísmo) e depois dele (cristianismo). O velho testamento, pra quem leu pelo menos uma boa parte, não demostra um Deus de amor. A história de Jó é bem notável no aspecto.


A premissa inicial seria: Deus, enquanto ser perfeito e eterno, é também imutável. Assim nossa percepção dele é que amadureceria de um deus vingativo e cruel que exige sangue, para um pai amoroso e perdoador. Projetamos em Deus aquilo que desejamos ou tememos e, por assim dizer, Deus "passar a ser" para cada um aquilo que se quer que Ele seja. O que não quer dizer que Ele seja realmente como imaginamos. E nem mesmo nos assegura que Ele exista...


Exatamente. Ou seja, Deus é o que vc carrega dentro de si. Seja cruel, justo, bondoso, hedonista, inexistente ou qualquer outra versão.

Lviter wrote:
O livro de Jó não traz respostas, apenas perguntas que nos fazemos ainda hoje:
- Por que e para que sofremos, mesmo quando não parecemos merecer?
- Por que Deus permite que exista dor e morte?
- Por que Deus consente que exista o Mal e que ele atue sobre nós?

Nenhuma destas questões são respondidas, apenas somos confrontados com nossa própria pequenez humana representada em Jó. Mas ao final de seu sofrimento, antes que fosse reerguido, Jó faz uma interessante reflexão: "antes te conhecia apenas de ouvir falar, mas agora meus olhos lhe veem".


Sim, o livro de Jó não responde, coloca mais questões. Mas algumas respostas vc tem: Deus não é miguxo (amor infinito), Deus baniu Lúcifer do "céu" mas continua a dialogar com ele (os anjos decaídos continuam sendo parte da criação), Deus tem um sistema de justiça próprio e complexo ("pune" Jó ao fazer um ser fiel passar por várias provações, com o intuito de mostrar a Lúcifer que a fé de Jó é verdadeira - pra mim soou mais como uma aposta). Pra quem se acha ou se diz cristão, o livro de Jó torna a fé muito mais complexa.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Eu acredito mais que nós somos porções de energia impuras, desgarradas de um ponto central de pureza (Deus). Nesta situação, cabe a nós escolher se aproximar mais de Deus (tornando-nos mais puros), ficar aonde estamos ou piorar. E acredito tbm que existem diversos níveis de existência, de acordo com a nossa situação espiritual. Lembra reencarnacionismo?


A doutrina da reencarnação parece responder muitas das perguntas acima. Mas parte da premissa cármica, o que provoca pontos conflitantes com as perspectivas da graça e do perdão: se fomos perdoados e aprendemos a lição devida, por que precisamos sofrer ainda mais? E o que ganhamos se sofremos pelo que não sabemos que fizemos a nível consciente? por que Deus permite ao homem a escolher o mal? Não poderia ter nos criado todos "perfeitos"?


Na questão de ser perdoados por aprender a lição, eu tenho uma visão muito peculiar. É como uma escola que prime pela qualidade de ensino. Se o aluno se arrepende de ter sido relapso e mesmo fazendo algum esforço no final do ano, ele TEM que repetir a quarta série. É o oposto da progressão automática.

O que ganhamos por sofrer sem ter consciência dos próprios erros? Aprender que a ignorância não é justificativa pro erro, então "volta pra quarta série". Até aprender. E sofrimento é um sentimento relativo. Algumas pessoas sofrem vivendo bem e tendo fé. Madre Teresa tinha dúvida de sua própria fé. Só sai da "quarta série" quem tiver aprendido 100% o conteúdo programático.

Não sei se a comparação com uma escola melhorou ou piorou a explicação. Analogias às vezes complicam as coisas, é só ler as parábolas nos evangelhos.

Deus não permitia aos homens escolher o bem e o mal. Na Bíblia, Lúcifer induziu Eva a provar do fruto proibido (conhecimento). Então, Deus queria que nós fossemos apenas animais sem livre arbítrio.

Nesta parte peço às pessoas de estômago fraco pra assuntos reliosos que não leiam. Rolling Eyes

Deus não nos criou perfeitos porque foi incapaz de fazer os próprios anjos perfeitos. Se assim fosse, não teria havido uma grande rebelião no céu, uma enormidade de anjos comandados por Lúcifer. E aí aparece um outro ponto forte de discórdia. Alguns dizem que Lúcifer se rebelou por invejar o "mimo" que Deus tinha por Adão e Eva, advindos do barro, ao contrário dos anjos criados da luz (explicação islâmica, contida no Corão). Ou seja, Lúcifer induziu Eva a comer do fruto proibido pensando na expulsão da "humanidade" do Éden. Uma outra vertente "conspiratória" diz que Lúcifer, por amor aos humanos, lhes deu algo que os fariam superiores aos demais animais. Outra opinião é a de que Lúcifer passou a admirar tanto a "Criação" que passou a gostar mais desta do que do "Criador", então foi expulso ou simplesmente escolheu viver próximo à "Criação". Existem tbm os que acham que Lúcifer passou a concentrar tanta energia que acabou por explodir e "cair do céu" (sobrecarga de energia).

Qual seria a real razão? Talvez nenhuma delas.

A Bíblia nunca incentivou o conhecimento e o desenvolvimento das ciências. A fé seria a forma de retirar a humanidade desta esfera de existência e recolocá-la no céu/Éden. Quanto mais primitiva a vida humana, maior o incentivo a ter fé e sair deste "moquifo". O conhecimento e as ciências seriam obras de Lúcifer, pois fariam com que o "lado de cá" se torne um lugar melhor pra se viver. E isto é verdade pra maioria das pessoas no mundo, mesmo existindo pobreza e fome em larga escala. Pra mim esta seria a grande escolha: optar pelo céu/fé ou por ficar aqui, num mundo melhor/conhecimento.

Sempre vai se dizer que, se fosse assim, o mundo seria muito melhor. Mas não é melhor porque existe a "guerra" por fiéis dos dois lados e porque o ser humano é falho e mesquinho por natureza.

Retornando à questão, os seres humanos não são perfeitos pelo mesmo motivo que os anjos não são: Elohim/Jeová/Demiurgo também não o é. Ele é o Deus que comanda uma das esferas inferiores de um multiverso, é meio que um síndico de prédio. Acerta e erra, faz coisas boas e ruins. Como fazem os anjos, como fazemos nós. Confesso que não sei escolher um lado 100% bom. Os dois lados tem seus problemas.

Uma das poucas religiões que apresentam uma saída pra isto é o budismo, que prega a elevação espiritual para quebrar o ciclo da vida e da morte a que nós estamos presos. Se é verdade, não dá pra saber.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Neste ponto existe uma lógica muito forte na ação pró-retardamento mental de certas igrejas: fomos expulsos por adquirirmos conhecimento e livre-arbítrio, se nós abrirmos mão disto talvez Deus nos aceite de volta.


Esta é uma leitura, sem dúvida. Mas outra ainda pode ser proposta quanto ao mito do paraíso perdido: o que escolhemos a partir do momento em que temos o conhecimento do bem e do mal?


Nós somos os donos de nossas atitudes, e arcamos ou nos beneficiamos com as mesmas. Se vc quer o "céu", batalhe por isto. Se vc quer o paraíso na Terra (nem que seja só para si mesmo), batalhe por isto. Em geral, são opções conflitantes.

E os conceitos de bem e mal são MUITO relativos.

Por exemplo, Hitler fez um grande mal aos judeus, matando 6 milhões. Entretanto, este mesmo mal acabou com a perseguição ocidental de séculos contra os judeus e permitiu a criação do Estado de Israel. Estado que eles não tinham há quase 2 mil anos por causa de uma rebelião estúpida - na Judéia, contra os romanos.

Outro exemplo, existe a imagem de que João Paulo II era um homem santo, representação do "bem". Ora, se vc segue estritamente os preceitos professados pelo Papa, tem que ter um montão de filhos e basear sua vida na fé e na caridade ao próximo (qualquer um). E quem vai sustentar a filharada? E a sustentabilidade do planeta? E a qualidade de vida que vc proporciona à sua descendência? É muito fácil falar que o antigo Papa foi "do bem" e não seguir uma palavra do que ele dizia, ou seguir só o que lhe convém. Eu fui católico ultrapraticante e não tenho dúvida em dizer que, na grande maioria, são muito hipócritas. Alardeiam uma fé que não praticam (um pouco por imperfeição humana, boa parte por falta de vontade e fé verdadeira).

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
O fato de sermos capazes de nos destruirmos várias vezes não quer dizer que vamos fazê-lo.


Mas quer dizer que esta é uma possibilidade concreta. Hiroshima e Nagasaki ainda estão bem recentes na História da Humanidade. Aliás a História é pontuada basicamente pela matança mútua entre humanos.


A matança entre os semelhantes é característica básica da humanidade. É muito diferente de pensamento suicida e auto-aniquilamento. Nem Pol Pot era assim (matou metade da população do próprio país). Que alguns fatos históricos são chocantes pela crueldade e desprezo pelo ser humano, acho que pouquíssimos conseguem discordar. Mas as atrocidades cometidas pelo Japão na Segunda Guerra foram MUITO maiores do que Hiroshima e Nagasaki, que foi um ataque civil com o intuito de acabar com a guerra no Pacífico.

E foi bom pro Japão, em parte. Se a conquista do Japão fosse feita na raça (palmo a palmo, ilha a ilha), iam ter morrido MILHÕES de japoneses e americanos, MUITO mais gente do que em Hiroshima e Nagasaki. O norte do Japão seria parte do império soviético (só as Sacalinas foram conquistadas, no final), e é muito melhor ser capitalista e rico do que comunista e satélite. A decisão americana foi tomada porque uma parte do Japão foi conquistada por invasão, Okinawa. E as perdas foram brutais pros americanos, pra Okinawa nem se fala. Se tiver curiosidade, olhe o tamanho de Okinawa em relação ao Japão. Vc já ouviu falar de enfermeira-bomba, que se aproximava perto das tropas americanas e puxava o pino da granada? Se eu fosse presidente americano, sabendo da transferência de tropas soviéticas pro Japão via trans-siberiana e dos relatórios da ocupação americana, não ia pensar duas vezes em qualquer medida que culminasse rapidamente na rendição japonesa aos EUA. Não chega nem aos pés da escolha de Sofia.

Fazendo um aparte. Acho que este é um dos grandes feitos da minha vida, eu me livrei totalmente dos estereótipos padrões e de boa parte da lavagem cerebral que sofremos a todo momento. A parte ruim é que tudo se tornou muito mais complexo - mas mais interessante. O que eu "penso e acho" está longe de ser verdade, mas pelo menos eu me sinto habilitado a caminhar com as próprias pernas. Dentro das minhas necessidades enquanto ser humano, é uma das mais primordiais. Sim, sou louco. Shocked E é isto que me impede de aceitar qualquer religião por completo.

Retornando ao tema religião, estou muito preso ao Judaísmo/Cristianismo/Islamismo. Seria legal falar dos deuses gregos. Wink

[]'s
Lviter
cparakawa wrote:

Na questão de ser perdoados por aprender a lição, eu tenho uma visão muito peculiar. É como uma escola que prime pela qualidade de ensino. Se o aluno se arrepende de ter sido relapso e mesmo fazendo algum esforço no final do ano, ele TEM que repetir a quarta série. É o oposto da progressão automática.


O aluno que foi relapso e se esforçou só no final do ano não aprendeu de verdade, e por isso deve repetir: para que aprenda.

Mas quando falamos de questões emocionais por exemplo, um insight diante de uma situação específica pode te ensinar muito mais que muito tempo de sofrimento. Não desejo afirmar que as dificuldades não nos façam crescer, penso exatamente o contrário, entretanto o ritmo de reação de cada um é diferente diante dos mesmos estímulos. Me parece muito cruel imaginar que a coisa funcione exclusivamente no sistema de partidas dobradas: para cada débito deve haver um crédito.

Sl 103:10: "Deus não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniqüidades." (Por que se Ele o fizesse... estaríamos todos ferrados.)

cparakawa wrote:

Nesta parte peço às pessoas de estômago fraco pra assuntos religiosos que não leiam. Rolling Eyes


Podemos optar por uma leitura fundamentalista da Bíblia, em que a tomamos como A palavra de Deus, de forma absoluta, ou por uma visão mais aberta, em que a entendemos como inspirada por Deus, porém admitindo por exemplo que muitas de suas narrativas são míticas ou culturais por exemplo. Pessoalmente prefiro a segunda.

Aliás a respeito destes temas, alguns livros do frei Carlos Mesters, especialmente "Deus onde estás". e também de Leonardo Boff abriram muito minha visão. Também tem um livro muito bom de um autor protestante chamado Philip Yancey: "Maravilhosa Graça" muito interessante.

cparakawa wrote:

E os conceitos de bem e mal são MUITO relativos.


Discordo. Nós relativizamos estas noções, que são basicamente inatas em nós, para nossa própria comodidade. Uma espécie de anestesia para a consciência.

cparakawa wrote:
Mas as atrocidades cometidas pelo Japão na Segunda Guerra foram MUITO maiores do que Hiroshima e Nagasaki, que foi um ataque civil com o intuito de acabar com a guerra no Pacífico.


Não foi meu intuito vitimizar apenas um lado em detrimento do outro. Em uma guerra normalmente qualquer um dos lados está errado demais para criticar o outro. Queria me referir à possibilidade concreta de uso de armas nucleares, especificamente.

cparakawa wrote:

Fazendo um aparte. Acho que este é um dos grandes feitos da minha vida, eu me livrei totalmente dos estereótipos padrões e de boa parte da lavagem cerebral que sofremos a todo momento. A parte ruim é que tudo se tornou muito mais complexo - mas mais interessante. O que eu "penso e acho" está longe de ser verdade, mas pelo menos eu me sinto habilitado a caminhar com as próprias pernas. Dentro das minhas necessidades enquanto ser humano, é uma das mais primordiais. Sim, sou louco. Shocked E é isto que me impede de aceitar qualquer religião por completo.


Acho que se Deus nos deu a capacidade de raciocinar, foi pra usar. Nosso problema talvez seja achar que conseguiremos entender tudo. Acho que ainda não estamos preparados (precisamos passar da quarta série Cool ). Esta questão está representada no mito de Adão (e de Prometeu também) quando somos castigados por "querer ser iguais a Deus".

Por enquanto, prefiro confiar em Deus apenas, mesmo não entendendo muita coisa, "como as criancinhas". Afinal todas as religiões são humanas e por isso imperfeitas como nós.

Tive uma formação religiosa bastante eclética, como a maioria dos brasileiros. Mas há não muito tempo atrás era membro ativo de uma comunidade religiosa, onde senti que pude crescer bastante espiritualmente. Mas quando os conflitos entre a teoria e a prática da confissão em que participava se tornaram dissonantes demais, me afastei.

Atualmente acho difícil responder quando me perguntam qual a minha religião. Gostaria de poder dizer apenas: cristã, mas as pessoas não costumam aceitar esta resposta. Para ser mais específica diria que sou cristã protestante heterodoxa não praticante de visão ecumênica. Mas ia ser mais complicado ainda pra explicar Laughing .

Vou esporadicamente a alguma igreja, mas não me sinto mais parte delas. Ando pensando em aderir a um movimento supra-religioso de "igrejas nas casas" também chamadas de células, para não perder o sentido de comunhão, do qual confesso que sinto bastante falta.

cparakawa wrote:

Retornando ao tema religião, estou muito preso ao Judaísmo/Cristianismo/Islamismo. Seria legal falar dos deuses gregos. Wink


Esteja à vontade. Mas seria melhor abrir outro tópico, certo?
Obrigada por compartilhar suas reflexões, estas trocas também nos fazem crescer!
[]s
hive
Ual, quanta letra!

Sempre achei que as escrituras bíblicas fossem um amontoado de metáforas e alegorias influenciadas pelas religiões pagãs pré-históricas, usadas para uma melhor manutenção do estado.(as pirâmides do Egito são um exemplo da eficácia desse aparato)

De quaquer forma há 2 contradições na bíblia que sempre coloco em discussões cristãs:

1 - Segundo a bíblia, Deus é onipotente, onipresente - está em uma dimensão além do tempo/ espaço que conhecemos, em outras palavras (inclusive na de muitos pastores) prevê futuro. Por que então ele criaria Lúcifer? Por que teria errado na criação dos humanos, criando seres pretensamente perfeitos para viverem em um lugar perfeito que no entanto tiveram que ser banidos.

2 - Jesus era o filho de Deus na terra, um humano super-poderoso desprovido de pecado. Jamais entendi a frase final de Jesus em seu suplício na cruz: Meu pai, por que me abandonaste?
Com essa frase Jesus coloca toda sua santidade em cheque. Como pôde "purificar os pecados da humanidade" duvidando da benevolência de seu pai?

Eu pessoalmente não tenho religião, embora tenha uma certa espiritualidade subjetiva.
Tendo a acreditar que uma boa alternativa para viver num mundo que não compreendemos e muitas vezes sequer aceitamos seja através da busca por sabedoria e da contemplação da beleza, em sua forma pura. Eu costumo criar minha própria religião com mitos de criação, festas da fertilidade, deuses e demônios. O engraçado é que minhas graças quase sempre são atendidas.

Simpatizo com a forma estética de algumas religiões pagãs e orientais, como o xamanismo e o hinduísmo, embora não tenha saco para me aprofundar em seus preceitos.

A única religião que eu gostaria de freqüentar seria uma que fosse inventada por uma criança.

Cogito, Ergo Sum!
cparakawa
Lviter wrote:
cparakawa wrote:

Na questão de ser perdoados por aprender a lição, eu tenho uma visão muito peculiar. É como uma escola que prime pela qualidade de ensino. Se o aluno se arrepende de ter sido relapso e mesmo fazendo algum esforço no final do ano, ele TEM que repetir a quarta série. É o oposto da progressão automática.


O aluno que foi relapso e se esforçou só no final do ano não aprendeu de verdade, e por isso deve repetir: para que aprenda.

Mas quando falamos de questões emocionais por exemplo, um insight diante de uma situação específica pode te ensinar muito mais que muito tempo de sofrimento. Não desejo afirmar que as dificuldades não nos façam crescer, penso exatamente o contrário, entretanto o ritmo de reação de cada um é diferente diante dos mesmos estímulos. Me parece muito cruel imaginar que a coisa funcione exclusivamente no sistema de partidas dobradas: para cada débito deve haver um crédito.

Sl 103:10: "Deus não nos trata segundo os nossos pecados, nem nos retribui segundo as nossas iniqüidades." (Por que se Ele o fizesse... estaríamos todos ferrados.)


Eu nao acredito no sistema de partidas dobradas, nao acho que pra toda acao haja uma reacao de igual forca e sentido contrario. Eu soh acho que hah uma meta a se chegar pra quem espera "ir pro ceu" ou "escapar do ciclo da vida e da morte". Se vc demora eh problema seu, se vc aprende e/ou desaprende tbm. Fora que, por observacao, eu vejo que a maior parte das pessoas GOSTA de viver neste mundo. Soh reclamam que nao sao tao bonitas quanto gostariam, ou tao ricas quanto gostariam, ou algo do genero.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:

Nesta parte peço às pessoas de estômago fraco pra assuntos religiosos que não leiam. Rolling Eyes


Podemos optar por uma leitura fundamentalista da Bíblia, em que a tomamos como A palavra de Deus, de forma absoluta, ou por uma visão mais aberta, em que a entendemos como inspirada por Deus, porém admitindo por exemplo que muitas de suas narrativas são míticas ou culturais por exemplo. Pessoalmente prefiro a segunda.

Aliás a respeito destes temas, alguns livros do frei Carlos Mesters, especialmente "Deus onde estás". e também de Leonardo Boff abriram muito minha visão. Também tem um livro muito bom de um autor protestante chamado Philip Yancey: "Maravilhosa Graça" muito interessante.


Minha visao da Biblia eh mais aberta ainda do que aquela que vc prefere. 8/

Lviter wrote:
cparakawa wrote:

E os conceitos de bem e mal são MUITO relativos.


Discordo. Nós relativizamos estas noções, que são basicamente inatas em nós, para nossa própria comodidade. Uma espécie de anestesia para a consciência.


Bem e mal sao advindos da moral e etica que existem dentro de cada. Nao acredito que sejam absolutos. E a consciencia eh maleavel tbm. Eu nao vejo o ser humano como tao estanque, ou que tenha um nucleo central imutavel. Eu mudei muita coisa no meu nucleo central de pensamento no decorrer da vida, muitas coisas que eu considerava como mal deixaram de seh-lo. E muitas coisas do "bem" tbm. Simplesmente porque muitos conceitos basicos mudaram. Se vc acredita que bem e mal sao imutaveis, fica muito dificil compreender pessoas com formacao moral/religiosa diferentes da sua. No Brasil, onde a maioria acaba retornando ah raiz crista, tem se a impressao que bem e mal sao conceitos imutaveis e inerentes pra qualquer ser humano. E nao sao. O conceito de bem e mal nao eh igual pra um islamico, judeu "da gema" ou shintoista. Ou ateu, embora no Brasil o ateu eh criado em familia crista. Eu conheco ateu criado em familia de pai e mae ateus.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:
Mas as atrocidades cometidas pelo Japão na Segunda Guerra foram MUITO maiores do que Hiroshima e Nagasaki, que foi um ataque civil com o intuito de acabar com a guerra no Pacífico.


Não foi meu intuito vitimizar apenas um lado em detrimento do outro. Em uma guerra normalmente qualquer um dos lados está errado demais para criticar o outro. Queria me referir à possibilidade concreta de uso de armas nucleares, especificamente.


Entao ou vc se expressou mal, ou eu me expressei mal ou um nao entende o outro.

Qdo vc fala nas tragedias de Hiroshima e Nagasaki, parece que eh um ato de maldade pura, desnecessaria. E eh isto que a midia vende, que a midia soca na cabeca das pessoas.

Eu sou muito pratico ao falar deste tipo de assunto. Se eu sou governante de um pais, fui eleito pra cuidar deste. Esta eh a minha prioridade, o resto eh pra baixo de terciario. Entre morrer um milhao do meu inimigo em guerra e 100 mil do meu povo, nao tenho duvida nenhuma de que o inimigo que se ferre. Por exemplo: eh muito melhor o Lula cortar em 1 milhao o numero de desempregados no Brasil do que impedir 10 milhoes de morrerem de fome na Africa. Ele foi eleito pra cuidar do povo brasileiro, se eh pra fazer caridade no estrangeiro pode virar missionario ou nova Madre Teresa - nao os estou desmerecendo, mas cada um tem sua funcao.

Armas nucleares vao ser usadas de novo, mais dia ou menos dia. O que se "espera" eh que elas nao sejam usadas em alta escala. Como somente 3 paises podem fazer isto, o mundo como um todo fica mais "seguro". Nao visualizo uma chuva de misseis nucleares caindo por todo o globo.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:

Fazendo um aparte. Acho que este é um dos grandes feitos da minha vida, eu me livrei totalmente dos estereótipos padrões e de boa parte da lavagem cerebral que sofremos a todo momento. A parte ruim é que tudo se tornou muito mais complexo - mas mais interessante. O que eu "penso e acho" está longe de ser verdade, mas pelo menos eu me sinto habilitado a caminhar com as próprias pernas. Dentro das minhas necessidades enquanto ser humano, é uma das mais primordiais. Sim, sou louco. Shocked E é isto que me impede de aceitar qualquer religião por completo.


Acho que se Deus nos deu a capacidade de raciocinar, foi pra usar. Nosso problema talvez seja achar que conseguiremos entender tudo. Acho que ainda não estamos preparados (precisamos passar da quarta série Cool ). Esta questão está representada no mito de Adão (e de Prometeu também) quando somos castigados por "querer ser iguais a Deus".

Por enquanto, prefiro confiar em Deus apenas, mesmo não entendendo muita coisa, "como as criancinhas". Afinal todas as religiões são humanas e por isso imperfeitas como nós.

Tive uma formação religiosa bastante eclética, como a maioria dos brasileiros. Mas há não muito tempo atrás era membro ativo de uma comunidade religiosa, onde senti que pude crescer bastante espiritualmente. Mas quando os conflitos entre a teoria e a prática da confissão em que participava se tornaram dissonantes demais, me afastei.

Atualmente acho difícil responder quando me perguntam qual a minha religião. Gostaria de poder dizer apenas: cristã, mas as pessoas não costumam aceitar esta resposta. Para ser mais específica diria que sou cristã protestante heterodoxa não praticante de visão ecumênica. Mas ia ser mais complicado ainda pra explicar Laughing .

Vou esporadicamente a alguma igreja, mas não me sinto mais parte delas. Ando pensando em aderir a um movimento supra-religioso de "igrejas nas casas" também chamadas de células, para não perder o sentido de comunhão, do qual confesso que sinto bastante falta.


Eu sou mais na linha gnóstico de base cristah e shintoista com vies kardecista. Eu frequento a igreja catolica quando sinto vontade, nao vou por obrigacao. Nao comungo, pois sei que nao confesso faz anos e nao sou parte da comunidade. Se os que vao ah missa (catolica) fizessem o minimo requerido para comungar - confessar, frequentar regularmente a igreja, etc, seguir os 10 mandamentos e os 7 mandamentos da igreja catolica - nao ia ter quase ninguem na fila e ia ter muita hostia jogava no lixo por causa da validade. Em media, no Brasil, nas outras igrejas nao eh lah muito melhor.

Lviter wrote:
cparakawa wrote:

Retornando ao tema religião, estou muito preso ao Judaísmo/Cristianismo/Islamismo. Seria legal falar dos deuses gregos. Wink


Esteja à vontade. Mas seria melhor abrir outro tópico, certo?
Obrigada por compartilhar suas reflexões, estas trocas também nos fazem crescer!
[]s


Religiao - ou espiritualidade, pra ser mais abrangente - eh algo que eu gosto de conversar, mesmo com os "xiitas". Acho que o Kalishnaya eh um outro membro daqui que gosta do assunto, mas ele anda sumido e posta muito esparsamente. Se vc quiser abrir outro topico pra ficar discutindo algum assunto ligado ah espiritualidade, eu me interesso, desde que nao seja nada que eu seja zero as esquerda.

Eu sei o basico da maioria das religioes, mas varios temas sao interessantes pra mim, como deuses gregos, arcanjos do kaballah (Sephiroth), cristianismo, catolicismo, judaismo, islamismo, farsas biblicas, apocrifos, criacao da igreja de roma, Apolonio de Tyana, kardecismo e uns assuntos mais. Mas alguns me fogem ao interesse, como cristais, gnomos, buzios, runas, deuses nordicos, ufos e assim vai.

Eu gosto de ficar discutindo estas coisas ou lendo sobre o assunto. Eh um tipo de necessidade por conhecimento espiritual. E as ideias vao mudando com o tempo, nao sao monoliticas. No momento em que eu nao tiver mais duvidas na vida, meu cerebro pode ser dado como morto. Posso tingir o cabelo de loiro e apresentar o Fantasia no SBT. Cool

[]'s
matheus_controle
hive wrote:


1 - Segundo a bíblia, Deus é onipotente, onipresente - está em uma dimensão além do tempo/ espaço que conhecemos, em outras palavras (inclusive na de muitos pastores) prevê futuro. Por que então ele criaria Lúcifer? Por que teria errado na criação dos humanos, criando seres pretensamente perfeitos para viverem em um lugar perfeito que no entanto tiveram que ser banidos.

2 - Jesus era o filho de Deus na terra, um humano super-poderoso desprovido de pecado. Jamais entendi a frase final de Jesus em seu suplício na cruz: Meu pai, por que me abandonaste?
Com essa frase Jesus coloca toda sua santidade em cheque. Como pôde "purificar os pecados da humanidade" duvidando da benevolência de seu pai?


A única religião que eu gostaria de freqüentar seria uma que fosse inventada por uma criança.

Cogito, Ergo Sum!


1 - lucifer era um anjo dotado de muito poderes e adorava a Deus mais um dia a soberba tomou conta dele e quis ser maior que Deus, os anjos assim como nós tambem foram dotados de livre arbitrio, lucifer e seus demônios são nada mais nada menos que anjos decaidos; os seres humanos foram feitos perfeitos sim, e Deus disse de toda arvore comeras mais da arvore do conhecimento do bem e do mau nao comeras,pois certamente morrerás entao persoadidos pela serpente pecaram contra Deus comendo do fruto. Assim como lucifer e seus anjos foram banidos do ceu, tambem foram banidos os humanos do paraiso.

2 - Quando o Cristo se fez de Jesus, homem como eu e você ele morreu levando todos os nossos pecados sobre ele, entao no momento de sua morte todo pecado do mundo estava nele.
O que Deus pede para que você não fassa ( pecado ) não é? Deus não gosta do pecado, por isso Deus naquele breve MOMENTO onde Jesus estava carregando o pecado do mundo inteiro, Deus nao olhou para ele. Por isso Jesus disse a frase ''Meu pai, por que me abandonaste?'' Cristo nao estava duvidando da benevolencia de Deus não.

Realmente se você nao for como uma criança nao entrará no reino do ceu. Valeu !!!
hive
Quote:
1 - lucifer era um anjo dotado de muito poderes e adorava a Deus mais um dia a soberba tomou conta dele e quis ser maior que Deus, os anjos assim como nós tambem foram dotados de livre arbitrio, lucifer e seus demônios são nada mais nada menos que anjos decaidos; os seres humanos foram feitos perfeitos sim, e Deus disse de toda arvore comeras mais da arvore do conhecimento do bem e do mau nao comeras,pois certamente morrerás entao persoadidos pela serpente pecaram contra Deus comendo do fruto. Assim como lucifer e seus anjos foram banidos do ceu, tambem foram banidos os humanos do paraiso.

2 - Quando o Cristo se fez de Jesus, homem como eu e você ele morreu levando todos os nossos pecados sobre ele, entao no momento de sua morte todo pecado do mundo estava nele.
O que Deus pede para que você não fassa ( pecado ) não é? Deus não gosta do pecado, por isso Deus naquele breve MOMENTO onde Jesus estava carregando o pecado do mundo inteiro, Deus nao olhou para ele. Por isso Jesus disse a frase ''Meu pai, por que me abandonaste?'' Cristo nao estava duvidando da benevolencia de Deus não.


Hum, bom....Na verdade acho que vc não entendeu muito bem onde eu quis chegar. A historinha do lúcifer e livre-arbítrio eu já conheço e na verdade essa resposta é uma das mais recorrentes nessas questões. Eu estava é questionando a lógica da coisa. A linearidade do pensamento do deus cristão acaba sendo muito incompatível com os poderes a Ele atribuídos. Por estar além do nosso espaço-tempo, quando Deus criou Lúcifer, por exemplo, criou consciente de que ele se revoltaria mais tarde e de que os seres humanos seriam seduzidos por ele. A meu ponto é: Pra que toda essa história da carochinha se Ele poderia simplificar as coisas criando o Lúcifer mau e o homem corrompido logo de primeira? Pra que todos esses dogmas sem pé nem cabeça?
Acho muito mais fácil acreditar num deus que tenha sido um geneticista maluco de alguma civilização intergaláctica ultra-desenvolvida que criou a raça humana para tese de seu pós-doutorado do que nas histórias bíblicas.
julianaseixas
E quem não tem religião?
Opções bem mínimas heim: Tava com preguiça de escrever é? Razz
matheus_controle
julianaseixas wrote:
E quem não tem religião?
Opções bem mínimas heim: Tava com preguiça de escrever é? Razz


heheh !!!! nao esquenta nao. a enquete nao esta completa mesmo por isso troca uma ideia com o pessoal ai e esquesse a enquete valeu !!!! PROCURA uma religião pra voce heheheeh
matheus_controle
hive wrote:
Quote:
1 - lucifer era um anjo dotado de muito poderes e adorava a Deus mais um dia a soberba tomou conta dele e quis ser maior que Deus, os anjos assim como nós tambem foram dotados de livre arbitrio, lucifer e seus demônios são nada mais nada menos que anjos decaidos; os seres humanos foram feitos perfeitos sim, e Deus disse de toda arvore comeras mais da arvore do conhecimento do bem e do mau nao comeras,pois certamente morrerás entao persoadidos pela serpente pecaram contra Deus comendo do fruto. Assim como lucifer e seus anjos foram banidos do ceu, tambem foram banidos os humanos do paraiso.

2 - Quando o Cristo se fez de Jesus, homem como eu e você ele morreu levando todos os nossos pecados sobre ele, entao no momento de sua morte todo pecado do mundo estava nele.
O que Deus pede para que você não fassa ( pecado ) não é? Deus não gosta do pecado, por isso Deus naquele breve MOMENTO onde Jesus estava carregando o pecado do mundo inteiro, Deus nao olhou para ele. Por isso Jesus disse a frase ''Meu pai, por que me abandonaste?'' Cristo nao estava duvidando da benevolencia de Deus não.


Hum, bom....Na verdade acho que vc não entendeu muito bem onde eu quis chegar. A historinha do lúcifer e livre-arbítrio eu já conheço e na verdade essa resposta é uma das mais recorrentes nessas questões. Eu estava é questionando a lógica da coisa. A linearidade do pensamento do deus cristão acaba sendo muito incompatível com os poderes a Ele atribuídos. Por estar além do nosso espaço-tempo, quando Deus criou Lúcifer, por exemplo, criou consciente de que ele se revoltaria mais tarde e de que os seres humanos seriam seduzidos por ele. A meu ponto é: Pra que toda essa história da carochinha se Ele poderia simplificar as coisas criando o Lúcifer mau e o homem corrompido logo de primeira? Pra que todos esses dogmas sem pé nem cabeça?
Acho muito mais fácil acreditar num deus que tenha sido um geneticista maluco de alguma civilização intergaláctica ultra-desenvolvida que criou a raça humana para tese de seu pós-doutorado do que nas histórias bíblicas.


mais se assim ele o fizesse voce hoje estaria chorando e dizendo que Deus nao deu a voce a escolha
e esse que e problema voce pode escolher. o negocio e seguinte os anjos incluse lucifer tinhao sua salvacao e deram as costas e pecaram agora eu e voce temos que escolher que lado ficar e obter a salvacao ou a condenacao. valeu !!! so falta um pouquinho de fe em Deus e saber que a biblia sagrada e a sua palavra para nos.
D'Artagnan
Arriscando miunha cabeça:

Pra mim é isso, assunto demais que não chega em lugar nenhum =/
cparakawa
D'Artagnan wrote:
Arriscando miunha cabeça:

Pra mim é isso, assunto demais que não chega em lugar nenhum =/


Eu acho que isto que é o interessante, deveria ser algo estritamente pessoal. Só que, infelizmente, não é. É só ver discussões sobre pena de morte, eutanásia e células-tronco. A espiritualidade - mais precisamente, religião - altera a vida das pessoas que não tem nada a ver com ela, muitas vezes pra pior.

Vejo interesse em entender estas coisas não só pelo sentido pessoal. Mas entender o que muito "mentecapto" pensa pode ajudar minha própria vida ou me alertar de problemas que virão. Pode ser inútil em termos pessoais pra certo indivíduo, mas no contexto social acaba sendo importante. É que nem a política, vc pode detestá-la e se dizer apolítico, mas ela influi no seu cotidiano. E, no caso da política, pesadamente.

[]'s
Related topics
Portugas por aki??
QUAL O PIOR FILME QUE VOCÊS JÁ ASSISTIRAM?
Google - Descaso com o Brasil
Qual o problema com os Brasileiros e Portugueses ?
Lançamento do IE 7, final release
[Geral] - Notícias Bizarras em um País Bizarro
Sucesso Financeiro
Escolas Tecnicas. O que acha delas?
Quem é o melhor piloto na F1, independente do carro?
Brasil é o país com internautas mais tempo conectados
Brasileiros em geral são trolls?
Duvida de lingua portuguesa - Ambiguidade
Tolices do orkut
por que os americanos odeiam os brasileiros
Reply to topic    Frihost Forum Index -> Language Forums -> Portuguese

FRIHOST HOME | FAQ | TOS | ABOUT US | CONTACT US | SITE MAP
© 2005-2011 Frihost, forums powered by phpBB.