FRIHOSTFORUMSSEARCHFAQTOSBLOGSCOMPETITIONS
You are invited to Log in or Register a free Frihost Account!


[Notícia] Reforma da língua portuguesa





Guardian
Muita gente pergunta se o fórum em "Portuguese" do Frihost é o português falado no Brasil ou o português falado em Portugual.

Podemos perceber que existem diferenças entre as duas línguas, mas, provalvemente no final de 2008 será difícil diferenciar as duas línguas...

Muita polêmica está acontecendo sobre a tão falada modificação da língua portuguesa falada em se eu não me engano 8 países que sofreram modificações, ficaram parecidas...

Eu, na minha opinião, acho um absurdo. Todos os livros das escolas teram que ser trocados, e o teclado??? O que faremos agora com os acentos??? rsrs.

Quem quiser saber mais fica aí a reportagem que eu li(já vi até no jornal também):

http://www.itapedigital.com.br/rol/index.php?option=com_content&task=view&id=999&Itemid=2
Vanilla
O que a falta de fazer não faz, né? Eu to achando isso um exagero. Eu sou mesmo a favor de acabar com o trema porque ninguém quase usa mais esse troço. Mas daí a tirar o acento de um monte de palavras! Acho que os portugueses também não vão curtir muito essa idéia de tirar "p" e "c" de palavras em que essas letras não são pronunciadas (baptismo, acção). Eu acho tão bonito a maneira como eles escrevem! Mudar o alfabeto tudo bem, estamos cansados de ver y, w e k serem usados em nomes aqui no Brasil. Mas estão querendo mexer até onde não devem. ¬¬
Lviter
Algumas mudanças são necessárias e já vem tarde, como as citadas: extinção do trema, incorporação de k,w,y.

Certas diferenças como as letras dobradas na grafia em Portugal não impedem a compreensão, não precisavam alterar. Outras mudanças como alteração de palavras compostas e de acentuação em sua maioria, parecem ser mais pra criar confusão msm...

Eu pessoalmente, acho que deviam extinguir a crase, uma das coisas mais inúteis da língua...
Tilibra
Vanilla wrote:
O que a falta de fazer não faz, né?


O que fazer ele tem, mas o que acontece é que eles não sabem impor prioridades .....

Lviter wrote:
Eu pessoalmente, acho que deviam extinguir a crase, uma das coisas mais inúteis da língua...

é uma novela pra lembrar quando vai e quando não vai essa meldita crase ... kkkkk

.
.
.

Como eu sou viciado em padrões , sou a favor de criar uma língua padrão ... e abolir esses acentos toscos que só existem na nossa língua, e na espanhola ...

Padronisar a lingua portuguesa, aumentaria o seu valor cultural, já que ele seria o mesmo, e falado por vários países.

Eu também sou a favor dessa mundança !
hive
Concordo com a padronização, mas acho que deveria ser feita de forma o mais democrática possível. Uma lingua padrão facilitaria bastante a trocas / homologações de documentações entre os países de lingua portuguesa, agilizando tramitações burocráticas.
Quer coisa mais inutil do que criar arquivos de legenda ou tradução de softwares em PT-PT ou PT-BR? Fala sério
Tilibra
hive wrote:
Concordo com a padronização, mas acho que deveria ser feita de forma o mais democrática possível. Uma lingua padrão facilitaria bastante a trocas / homologações de documentações entre os países de lingua portuguesa, agilizando tramitações burocráticas.
Quer coisa mais inutil do que criar arquivos de legenda ou tradução de softwares em PT-PT ou PT-BR? Fala sério

Exatamente !

É mesmo muito inútil isso....
Eu acho que é frescura do brasileiro mesmo .... ficar enxendo as palavras de acentos ... crase assim, crase assado ....

Sem sombra de dúvidas, que essa "padronização" facilitaria muito a vida de todos !
facool
Complicado esse tema... principalmente para alunos da rede pública. Os livros são 'renovados' a cada 3 anos, enquanto isso a cada ano que passa um aluno vai passando para outro o livro usado. Ao entrar em rigor as novas regras gramaticais, bibliotecas inteiras de livros didáticos ficam defasados... e como fica para os alunos?? o governo vai bancar essa mudança? e por aí vai...
e essa padronização também exclui alguns ascentos mas deixam outros...
esse tema deve ser revisto com mais cuidado, pesando os contras tb...
Gilgamesh
Acho que o Brasil tem de ceder um pouco mais, e os outros países também, dado que Portugal é a nação que mais perde com a reforma da língua.

Certas coisas não são tão necessárias, como extinguir o c da palavra FACTO, que em portugal diferencia esta palavra de FATO, bem diferente

Entre outras cousas.
Erst
Smile - Pude ler tal informação em uma das veja, que recebi, e creio ser algo que vai revolucionar e criar muita polemica, alem de dificuldade para muitas instituições de ensino que no presente momento não dão conta nem de ensinar o português presente no momento, e apos uma mudança tal como esta os professores, mais "antigo" não vão querer se adequar ao português "novo" e assim vão criar uma grande polemica e dificuldade maior nas instituições, sem falar os que j´[a possuem um português culto, e terão que se adequar, e mudar e muito o seu português...

- Creio que esta mudança se for mesmo realizada, vai trazer muita dor de cabeça, é quase a mesma coisa se o BC, falar que vai mudar o nome da moeda nacional. Rolling Eyes
matheus0706
Trema tudo bem,acentos de verbos como veem,tudo bem.Agora a crase nao,ela é super importante sim!!Olha o exemplo:''Eu bati à
porta'' e Eu bati a porta''.Essas frases tem significados completamente diferentes.Na primeira,quero dizer que chamei o dono da casa.Na segunda,estou dizendo que fechei a portaa violentamente. Viu,ela e importante sim. Very Happy A lingua portuugusa é complicada mesmo,mas temos que aprender a lidar com ela .QUe as reformas vem e as criticas tb...
janeaustenfanfics
matheus0706 wrote:
Trema tudo bem,acentos de verbos como veem,tudo bem.Agora a crase nao,ela é super importante sim!!Olha o exemplo:''Eu bati à porta'' e Eu bati a porta''.Essas frases tem significados completamente diferentes.Na primeira,quero dizer que chamei o dono da casa.Na segunda,estou dizendo que fechei a portaa violentamente. Viu, ela e importante sim. Very Happy A lingua portuugusa é complicada mesmo,mas temos que aprender a lidar com ela. QUe as reformas vem e as criticas tb...


E se você apenas pronunciasse estas frases? Seria pelo contexto que a pessoa descobriria o sentido.
A crase é inútil porque a língua é basicamente um fenômeno oral, a escrita apenas a representa.
Mas assunto dá margem a (craseado?) discussão.

[quote=] "Eu era contra a crase até aprender a usá-la. Hoje, eu a defendo, para não concluir que perdi meu tempo". - Luis Fernando Verissimo [/quote]
gilmariofgl
matheus0706 wrote:
Trema tudo bem,acentos de verbos como veem,tudo bem.Agora a crase nao,ela é super importante sim!!Olha o exemplo:''Eu bati à
porta'' e Eu bati a porta''.Essas frases tem significados completamente diferentes.Na primeira,quero dizer que chamei o dono da casa.Na segunda,estou dizendo que fechei a portaa violentamente. Viu,ela e importante sim. :D A lingua portuugusa é complicada mesmo,mas temos que aprender a lidar com ela .QUe as reformas vem e as criticas tb...
A crase é inútil e não serve pra nada.
Exemplo:
Eu chamei o dono da casa.
Eu fechei a porta violentamente.
Usei duas frases, todos entenderam e não precisei usar a inútil crase.
Escreva o que todos entendam, não o que passou a vida aprendendo em uma faculdade ou coisa desse tipo.
Essa complexidade só serve pára professores estúpidos que querem ganhar créditos e nem se quer consegue ensinar os alunos a lerem.

Voltando a essência do tópico.
Já está mesmo na hora de padronizar as coisas!
cparakawa
Apesar dos problemas para se adaptar a grafia, não é uma mudança brutal. Claro que nestes anos de transição vai haver muitas dúvidas. Só que, na minha opinião, os benefícios compensam o esforço. A língua portuguesa padronizada vai facilitar muito o intercâmbio entre os países, ainda mais nos atuais tempos de internet.

Pode-se questionar o fato do Brasil ser o maior país que tem o português como língua oficial. A reforma não vai acabar com as características locais do uso da língua, notadamente o sotaque ( e existem vários em cada um dos países). Mas vai facilitar a troca de informações pela escrita. Não é crucial, mas é um passo importante para consolidar o português como uma língua importante no cenário mundial.
Aidmar
Me chamem de louco se quiserem, mas eu defendo uma mudança brutal da língua portuguesa. O que mais dificulta as crianças e os estrangeiros a aprenderem a ler/escrever a nossa língua é justamente o excesso de regras e excessões. Como foi citado acima, eu também sou a favor de definir padrões lógicos ao que me cerca. No caso dos acentos, por exemplo, poderíamos determinar que todas as palavras sejam acentuadas, assim quem as lesse saberia exatamente como pronunciá-la, mesmo sem nunca ter ouvido falar nela. Ou, para não poluir demais o "visual" do texto, poderíamos determinar que todas as palavras de uma determinada classificação sejam acentuadas de uma única maneira, sem excessões. Como, por exemplo, definir que todas as oxítonas e todas as proparoxítonas sejam acentuadas, e nenhuma paroxítona seja. Ponto. Facilitaria muito a vida de muita gente. O uso de M antes de P e B também é uma regra meio inútil. Por quê se deve usar o M antes de P ou B e no final das palavras, enquanto o N acaba tendo a mesma função e o mesmo fonema quando antecedem uma consoante? Tipo QUANDO e PORÉM. Por quê não QUAMDO e PORÉM, ou ainda QUANDO e PORÉN? A pronúncia é a mesma, e todos entenderam o que essas palavras querem dizer. O uso do S, C, Q, X e Z também deveria ser completamente revisto: Se tem fonema de Z se escreve com Z, e pronto. O mesmo com as demais letras: C tem que ter som de C, e não de S. CEBOLA deveria ser SEBOLA. CASA deveria ser CAZA, EXAME deveria ser EZAME e QUEIJO deveria ser CEIJO (ou QEIJO, sem o U). Inclusive, com a abolição do trema, quem dos novos leitores saberia como pronunciar LINGUÍSTICO???. Da forma como estou apresentando, seria com o U mesmo. Se o U não deveria ser pronunciado, se escreveria LINGÍSTICO. (Derivado de LINGA, talvez.... HEHEHEHE...)
Aidmar
Tenho ainda MUITAS outras idéias a repeito disso, mas é muito assunto pra postar aqui...rs. Coisas como alguns dígrafos, regras de plural, conjugação verbal, etc. deveriam ser todos revistos. Depois eu posso postar mais algumas coisas aqui. Eu sei que serei apedrejado e crucificado por dizer essas coisas, mas ainda assim, acredito nessas idéias. E por mais que algumas pessoas não concordem, elas devem concordar que há lógica nisso.
cparakawa
Eu concordo com o Aidmar. A meu ver, a riqueza da língua está nos vocábulos e na estrutura da mesma. A cultura da pessoa está mais na capacidade de usar uma infinidade de vocábulos de forma articulada. Ficar preso a grafias por causa da história e porque "é tão bonito" que nossa língua seja tão complexa de escrever é parvice. E eu não fugi do Mobral pra querer facilitar as coisas.

Na reforma de 196x, quando a maioria aqui nem havia nascido, já deram uma simplificada. Pharmácia e Ypiranga se tornaram grafias obsoletas. Seria um grande passo se cada consoante representasse um fonema. Nada mais de ç, q e outros do gênero. S teria som de |s|, dois Ss se tornariam desnecessários. S com som de |z| nem existiria, enfim pode-se usar o Z e pronto.

Volto a ressaltar que eu sou CONTRA qualquer tentativa como a de "1984", quando o governo central (Big Brother/Grande Irmão) diminuia a quantidade de vocábulos "autorizados". Restringir a língua é uma forma de restringir a capacidade de pensar das pessoas. Simplificar a escrita é uma forma de simplificar e democratizar a mesma.

Toda vez que eu vejo um lingüista ou professor de língua portuguesa enaltecendo a beleza da babel que é o português, eu sinto vontade de tacar uma pedra na cabeça do mesmo. Já deu muito trabalho para que eu aprendesse a escrever com um mínimo de decência, mas eu não sou sádico para exigir o mesmo das outras pessoas - que podem não ter tempo, estrutura educacional e/ou capacidade de decoreba. Lviter, já pode me xingar. Very Happy

Enfim, é só minha opinião. E as mudanças línguísticas por decreto ficam ultrapassadas, afinal de contas toda língua é um organismo vivo. É só observar os regionalismos e gírias em geral.

[]'s
Lviter
cparakawa wrote:


Toda vez que eu vejo um lingüista ou professor de língua portuguesa enaltecendo a beleza da babel que é o português, eu sinto vontade de tacar uma pedra na cabeça do mesmo. Já deu muito trabalho para que eu aprendesse a escrever com um mínimo de decência, mas eu não sou sádico para exigir o mesmo das outras pessoas - que podem não ter tempo, estrutura educacional e/ou capacidade de decoreba. Lviter, já pode me xingar. Very Happy

[]'s


Ainda bem que concordo com você, pelo menos em parte, assim não corro o risco de levar uma pedra na cabeça! Very Happy.

Penso de forma idêntica quanto aos seguinte pontos que você expôs:

cparakawa wrote:


(...) A riqueza da língua está nos vocábulos e na estrutura da mesma. A cultura da pessoa está mais na capacidade de usar uma infinidade de vocábulos de forma articulada...

Restringir a língua é uma forma de restringir a capacidade de pensar das pessoas. Simplificar a escrita é uma forma de simplificar e democratizar a mesma...

E as mudanças línguísticas por decreto ficam ultrapassadas, afinal de contas toda língua é um organismo vivo. É só observar os regionalismos e gírias em geral.



Pelo menos é desta forma que procuro ensinar. Se expressar bem em uma língua, inclusive na sua própria, é sobretudo conseguir pensar de forma lógica. Um sistema linguístico (qualquer um, inclusive as linguagens de programação) não é apreendido com enunciados e regras, a prática concreta é que produz os insights que a gente nem percebe que utiliza ao produzir um texto, oral ou escrito.

Entretanto, quanto a estas outras colocações podemos discutir um pouco mais:


cparakawa wrote:


Ficar preso a grafias por causa da história e porque "é tão bonito" que nossa língua seja tão complexa de escrever é parvice.

Seria um grande passo se cada consoante representasse um fonema. Nada mais de ç, q e outros do gênero. S teria som de |s|, dois Ss se tornariam desnecessários. S com som de |z| nem existiria, enfim pode-se usar o Z e pronto.




Também defendo uma abordagem mais funcional e democrática da Língua, mas uma mudança tão radical poderia causar mais confusão do que ajudar... O caminho do meio, como ensinam os orientais, costuma normalmente ser o mais acertado.

Aliás estas dificuldades quanto a correlação grafia/som não são privilégios do Português, ao contrário do que muitos pensam. A Língua inglesa é considera uma das piores neste aspecto.

Correríamos o risco de ter algo quase neste estilo...?

(Texto aparentemente apócrifo que circula há tempos na internet)

Quote:


Eis aqui um programa de cinco anos para resolver o problema da falta de
autoconfiança do brasileiro na sua capacidade gramatical e ortográfica. Em
vez de melhorar o ensino, vamos facilitar as coisas, afinal, o português é
difícil demais mesmo. Para não assustar os poucos que sabem escrever, nem
deixar mais confusos os que ainda tentam acertar, faremos tudo de forma
gradual.


No primeiro ano, o "Ç" vai substituir o "S" e o "C" sibilantes, e o "Z" o
"S" suave. Peçoas que açeçam a internet com freqüênçia vão adorar,
prinçipalmente os adoleçentes. O "C" duro e o "QU" em que o "U" não é
pronunçiado çerão trokados pelo "K", já ke o çom é ekivalente. Iço deve
akabar kom a konfuzão, e os teklados de komputador terão uma tekla a
menos, olha çó ke koiza prátika e ekonômika.


Haverá um aumento do entuziasmo por parte do públiko no çegundo ano,
kuando o problemátiko "H" mudo e todos os acentos, inkluzive o til, seraum
eliminados. O "CH" çera çimplifikado para "X" e o "LH" pra "LI" ke da no
mesmo e e mais façil. Iço fara kom ke palavras como "onra" fikem 20% mais
kurtas e akabara kom o problema de çaber komo çe eskreve xuxu, xa e
xatiçe.


Da mesma forma, o "G" ço çera uzado kuando o çom for komo em "gordo", e
çem o "U" porke naum çera preçizo, ja ke kuando o çom for igual ao de "G"
em "tigela", uza-çe o "J" pra façilitar ainda mais a vida da jente.
No terçeiro ano, a açeitaçaum publika da nova ortografia devera atinjir o
estajio em ke mudanças mais komplikadas serão poçiveis. O governo vai
enkorajar a remoçaum de letras dobradas que alem de desneçeçarias çempre
foraum um problema terivel para as peçoas, que akabam fikando kom teror de
soletrar. Alem diço, todos konkordaum ke os çinais de pontuaçaum komo
virgulas dois pontos aspas e traveçaum tambem çaum difíçeis de uzar e
preçizam kair e olia falando çerio já vaum tarde.


No kuarto ano todas as peçoas já çeraum reçeptivas a koizas komo a
eliminaçaum do plural nos adjetivo e nos substantivo e a unificaçaum do U
nas palavra toda ke termina kom L como fuziu xakau ou kriminau ja ke
afinau a jente fala tudo iguau e açim fika mais faciu. Os karioka talvez
naum gostem de akabar com os plurau porke eles gosta de eskrever xxx nos
finau das palavra mas vaum akabar entendendo. Os paulista vaum adorar. Os
goiano vaum kerer aproveitar pra akabar com o D nos jerundio mas ai tambem
ja e eskuliambaçaum.


No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no
infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke
ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E
em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I, i ai im vez di çi iskreve
pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e
muito milio çertu ? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam
pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou
gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.
Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum
çoçiau e çegurança pçikolojika todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi
intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no
Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us
blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti olia ço
ki maravilia.

http://forum.cifraclub.terra.com.br/forum/11/108883.

cparakawa
Lviter wrote:
Também defendo uma abordagem mais funcional e democrática da Língua, mas uma mudança tão radical poderia causar mais confusão do que ajudar... O caminho do meio, como ensinam os orientais, costuma normalmente ser o mais acertado.

Aliás estas dificuldades quanto a correlação grafia/som não são privilégios do Português, ao contrário do que muitos pensam. A Língua inglesa é considera uma das piores neste aspecto.

Correríamos o risco de ter algo quase neste estilo...?

(Texto aparentemente apócrifo que circula há tempos na internet)

Quote:
No kinto ano akaba a ipokrizia de çe kolokar R no finau dakelas palavra no
infinitivo ja ke ningem fala mesmo e tambem U ou I no meio das palavra ke
ningem pronunçia komo por exemplo roba toca e enjenhero e de uzar O ou E
em palavra ke todo mundo pronunçia como U ou I, i ai im vez di çi iskreve
pur ezemplu kem ker falar kom ele vamu iskreve kem ke fala kum eli ki e
muito milio çertu ? os çinau di interogaçaum i di isklamaçaum kontinuam
pra jente çabe kuandu algem ta fazendu uma pergunta ou ta isclamandu ou
gritandu kom a jenti e o pontu pra jenti sabe kuandu a fraze akabo.
Naum vai te mais problema ningem vai te mais eça barera pra çua açençaum
çoçiau e çegurança pçikolojika todu mundu vai iskreve sempri çertu i çi
intende muitu melio i di forma mais façiu e finaumenti todu mundu no
Braziu vai çabe iskreve direitu ate us jornalista us publiçitario us
blogeru us adivogado us iskrito i ate us pulitiko i u prezidenti olia ço
ki maravilia.

http://forum.cifraclub.terra.com.br/forum/11/108883.



Pra mim, isto aí é miguxês. Basicamente, vc considera que as pessoas incapazes de cursarem a quarta série do ensino elementar tem condições não só de escrever, mas também de ditar as regras ortográficas. É mais ou menos como a programação da TV aberta.

Esta diferença entre a linguagem culta e a popular, com o passar do tempo, pode acabar levando ao surgimento de duas línguas separadas. Como é o caso do latim, que deixou línguas distorcidas, faladas pelo povão, em boa parte da Europa. Francês, Espanhol, Português, Italiano e outras línguas são fruto desta dificuldade das pessoas em aprender a língua oficial (latim), mais os regionalismos característicos de cada local. Uma das coisas que permitiram tal coisa foi a falta do ensino universal. Considerando-se que o ensino universal é cada vez mais lixo no Brasil, talvez haja uma ruptura entre o português culto e a linguagem popular. É um processo lento, mas possível. Enfim, já existe a língua dos manos e o miguxês.
phantombr
Vou direcionar o assunto pro lado que eu conheço:

Que eu saiba ainda falta que o presidente Lula (sic!) assine o decreto formalizando a adesão! Supostamente, seria para o início de 2009 e os livros seriam progressivamente adaptados (existem supostos cronogramas espalhados pela internet também.. hehe).

De fato, o que esta na imprensa é: editoras de material para cursinhos e interesseiros de plantão criando dicionários e materiais escolares para serem vendidos como ''Seja o primeiro a saber a nova gramática". Vá até uma banca e procure um pouco que você encontrará esse tipo de material.
D'Artagnan
Desculpa, mas eu acho tem que mudar mais Razz, eta lingua complicada sô!
Lviter
phantombr wrote:
Vou direcionar o assunto pro lado que eu conheço:

Que eu saiba ainda falta que o presidente Lula (sic!) assine o decreto formalizando a adesão! Supostamente, seria para o início de 2009 e os livros seriam progressivamente adaptados (existem supostos cronogramas espalhados pela internet também.. hehe).

De fato, o que esta na imprensa é: editoras de material para cursinhos e interesseiros de plantão criando dicionários e materiais escolares para serem vendidos como ''Seja o primeiro a saber a nova gramática". Vá até uma banca e procure um pouco que você encontrará esse tipo de material.



No Brasil a reforma já havia sido aprovada há um certo tempo. Portugal é que estava resistindo. Mas de qualquer maneira como três países lusófonos haviam assinado antes, poderia entrar em vigor assim mesmo. Mas Portugal acabou se rendendo (as principais alterações serão para eles).

http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u379516.shtml
cparakawa
Iria ser meio ridícula uma união ortigráfica sem o país originário da língua.

Mais do que aceitar a pressão dos outros países, é uma mudança muito mais radical para Portugal. O país viveu em função de suas colônias por séculos, só largou o "osso" com as guerras de independência na África. Com a entrada de Portugal na Comunidade Européia - atual União Européia, Portugal se voltou para a integração continental. Não tem funcionado a contento, ainda mais com a entrada de países muito mais pobres do que Portugal, o que cortou as transferências líquidas por parte dos outros países mais ricos e colocou Portugal na posição de contribuidor. Uma das saídas para Potugal é fortalecer os laços econômicos com as ex-colônias, notadamente as em boa situação: Brasil (commodities agrícolas, minérios, alguns produtos industriais e, futuramente, petróleo/bio-combustível) e Angola (petróleo, pedras preciosas, minérios e, talvez futuramente, commodities agrícolas). Produtos que tem sofrido forte valorização e esta vai continuar. A união ortográfica não é um fim em si, é um detalhe, um obstáculo a ser ultrapassado para aumentar a coesão dos países de língua portuguesa em busca de maior poder econômico e político.

Eu assisti uma reportagem faz pouco tempo atrás, sobre uma iniciativa de uma universidade americana para permitir que erros comuns na grafia em língua inglesa sejam aceitáveis na regra culta. Como "speech", que é escrito errado como "speach" - talvez por seguir a lógica com se escreve bleach e peach, ao invés de leech. A língua inglesa não tem padrão de escrita, é por isto que existem os campeonatos nerds de soletrar as palavras. Não vai haver consenso sobre esta reforma tapa-buracos, nem nos EUA, muito menos no Reino Unido.

Só para recordar: o Brasil foi uma ditadura até 1985; Portugal foi uma ditadura de décadas com Salazar e esta só acabou nos anos 70; as colônias africanas enfrentaram guerras para se tornar independentes de Portugal e muitas, logo em seguida, enfrentaram guerras civis graves e prolongadas. A Guerra Civil em Angola acabou faz poucos anos. Países que se tornaram democráticos faz pouco tempo e com rusgas internas conseguiram chegar a um acordo ortográfico em relativo pouco tempo. É uma grande conquista.

Por outro lado, Reino Unido e Estados Unidos são forte aliados faz quase um século e nada de qualquer padronização linguística. De um lado se escreve "organization", do outro "organisation". Ou "centre" e "center". Os dois países não se interessam em acordo nenhum, mesmo com o inglês sendo uma língua de uso corrente em escala mundial. E são nações democráticas e aliadas. Aliás, é comum os ingleses dizerem que os americanos não falam inglês, falam algo remotamente parecido.

[]'s
Deline
Vanilla wrote:
O que a falta de fazer não faz, né? Eu to achando isso um exagero. Eu sou mesmo a favor de acabar com o trema porque ninguém quase usa mais esse troço. Mas daí a tirar o acento de um monte de palavras! Acho que os portugueses também não vão curtir muito essa idéia de tirar "p" e "c" de palavras em que essas letras não são pronunciadas (baptismo, acção). Eu acho tão bonito a maneira como eles escrevem! Mudar o alfabeto tudo bem, estamos cansados de ver y, w e k serem usados em nomes aqui no Brasil. Mas estão querendo mexer até onde não devem. ¬¬


Também acho falta do que fazer...Tem criança que tá acabando de aprender o significado do acento agudo, aí vai um bando de imbecis e muda tudo, o infeliz escreve errado pelo resto da vida né...Magina.
Liques
estão querendo acabar com o " - " também. Não sei se já foi mencionado aqui no tópico, mas as palavras ficarão assim:

Anti-religioso ---> Antirreligioso
Anti-qualquercoisa ---> Antiqqualquercoisa

Sim, duplicaria a consoante...
cparakawa
Deline wrote:
Vanilla wrote:
O que a falta de fazer não faz, né? Eu to achando isso um exagero. Eu sou mesmo a favor de acabar com o trema porque ninguém quase usa mais esse troço. Mas daí a tirar o acento de um monte de palavras! Acho que os portugueses também não vão curtir muito essa idéia de tirar "p" e "c" de palavras em que essas letras não são pronunciadas (baptismo, acção). Eu acho tão bonito a maneira como eles escrevem! Mudar o alfabeto tudo bem, estamos cansados de ver y, w e k serem usados em nomes aqui no Brasil. Mas estão querendo mexer até onde não devem. ¬¬


Também acho falta do que fazer...Tem criança que tá acabando de aprender o significado do acento agudo, aí vai um bando de imbecis e muda tudo, o infeliz escreve errado pelo resto da vida né...Magina.


Considerando que a maioria das pessoas utiliza de forma errada o acento agudo, eu não acho que seja tão absurdo assim. O maior problema é para as pessoas que REALMENTE terminaram o "Mobral", que teriam mais dificuldade por não lembrar com exatidão as coisas. Eu me incluo neste grupo. Então seriam vários perfis diferentes de pessoas diante da reforma lingüística:

1- Aqueles que sabem escrever na norma "antiga", mas estão enferrujados ou desinteressados em se adaptar. Situação "ruim".
2- Aqueles que não sabiam escrever na norma "antiga" e vão continuar assim na "nova". Situação "indiferente".
3- Aqueles que estão na escola e não sabem escrever na norma "antiga" e não vão aprender a "nova". Situação "indiferente".
4- Aqueles que estão na escola, tentando aprender a norma "antiga" e que irão se adaptar a "nova". Situação "pequeno aumento de dificuldade" - considerando-se que já é difícil.
5- Aqueles que não fazem a mínima idéia de que existia uma norma "antiga" e que vão culpar a reforma pelo fato de não saberem escrever. Situação "ascendente".

Estou escrevendo isto como escárnio mesmo. Considerando que os grupos 1 e 4 somem 10% da população (estou sendo otimista) e que o grupo 5 possa ser uns 15% (estou sendo comedido), a reforma lingüística é benéfica com uma vantagem de 5%. YES!!! A reforma é boa, vai mais melhorar do que piorar a vida das pessoas.

Imagine o sujeito que escreve "esessão", "omem" ou "majico", sempre vai poder por a culpa na reforma. Twisted Evil
phantombr
cparakawa wrote:

5- Aqueles que não fazem a mínima idéia de que existia uma norma "antiga" e que vão culpar a reforma pelo fato de não saberem escrever. Situação "ascendente".


hehehe não sei se prefiro rir do ''ascendente'' ou da ''culpa do governo'' Very Happy
Criativo o senhor ein! Mandou bem!
Ah... não sei em qual das situações me enquadro, mas de qualquer forma... "ascendente'' matou-a-pau. (com ou sem "-" ?)
Deline
cparakawa wrote:
Deline wrote:
Vanilla wrote:
O que a falta de fazer não faz, né? Eu to achando isso um exagero. Eu sou mesmo a favor de acabar com o trema porque ninguém quase usa mais esse troço. Mas daí a tirar o acento de um monte de palavras! Acho que os portugueses também não vão curtir muito essa idéia de tirar "p" e "c" de palavras em que essas letras não são pronunciadas (baptismo, acção). Eu acho tão bonito a maneira como eles escrevem! Mudar o alfabeto tudo bem, estamos cansados de ver y, w e k serem usados em nomes aqui no Brasil. Mas estão querendo mexer até onde não devem. ¬¬


Também acho falta do que fazer...Tem criança que tá acabando de aprender o significado do acento agudo, aí vai um bando de imbecis e muda tudo, o infeliz escreve errado pelo resto da vida né...Magina.


Considerando que a maioria das pessoas utiliza de forma errada o acento agudo, eu não acho que seja tão absurdo assim. O maior problema é para as pessoas que REALMENTE terminaram o "Mobral", que teriam mais dificuldade por não lembrar com exatidão as coisas. Eu me incluo neste grupo. Então seriam vários perfis diferentes de pessoas diante da reforma lingüística:

1- Aqueles que sabem escrever na norma "antiga", mas estão enferrujados ou desinteressados em se adaptar. Situação "ruim".
2- Aqueles que não sabiam escrever na norma "antiga" e vão continuar assim na "nova". Situação "indiferente".
3- Aqueles que estão na escola e não sabem escrever na norma "antiga" e não vão aprender a "nova". Situação "indiferente".
4- Aqueles que estão na escola, tentando aprender a norma "antiga" e que irão se adaptar a "nova". Situação "pequeno aumento de dificuldade" - considerando-se que já é difícil.
5- Aqueles que não fazem a mínima idéia de que existia uma norma "antiga" e que vão culpar a reforma pelo fato de não saberem escrever. Situação "ascendente".

Estou escrevendo isto como escárnio mesmo. Considerando que os grupos 1 e 4 somem 10% da população (estou sendo otimista) e que o grupo 5 possa ser uns 15% (estou sendo comedido), a reforma lingüística é benéfica com uma vantagem de 5%. YES!!! A reforma é boa, vai mais melhorar do que piorar a vida das pessoas.

Imagine o sujeito que escreve "esessão", "omem" ou "majico", sempre vai poder por a culpa na reforma. Twisted Evil



HAHAHHA pior, mas realmente se adaptar pra quem já acostumou pode ser difícil mas não chega a ser impossível...Na verdade, se foram os portugueses que vieram pra cá, então por que aconteceu essa coisa de "surgir" os acentos? :S Estranho...
O fogo vai ser mesmo aguentar esse povo colocando a culpa na reforma, é uma questão de costume, o importante é saber falar e o significado das palavras, senão estamos futricados!
cparakawa
Deline wrote:
HHAHHA pior, mas realmente se adaptar pra quem já acostumou pode ser difícil mas não chega a ser impossível...Na verdade, se foram os portugueses que vieram pra cá, então por que aconteceu essa coisa de "surgir" os acentos? :S Estranho...


Pelo que eu ouvi falar, a estrutura do português de Portugal é mais moderna que a do Brasil. E as diferenças nasceram por um motivo básico: os dois ramos foram separados a partir da independência. Enquanto Brasil virou uma "ilha" falando português (com pouquíssimo contato com os vizinhos), Portugal foi mais influenciado pela vizinhança. Fora isto, no Brasil houve a mestiçagem da língua. Ambas acabaram se desenvolveram de forma diferente no decorrer de quase 2 séculos.

Pra não precisar ir tão longe: as pessoas que aprenderam a falar japonês no Brasil com pessoas que vieram do Japão há 70/80 anos, falam um japonês que não existe mais. É até considerado bonito por ser um japonês mais clássico, sem os estrangeirismos recorrentes no japonês atual. Quem assiste Naruto ou afins pode ter notado.

Outro exemplo: uma conhecida minha, filha de inglesa, mas nascida e criada no Brasil, fala o inglês de uma forma estranha para a idade dela. Pelo simples fato de quem, em 30 anos, a forma de se falar inglês mudou muito. Quem observa a letra/video do Pink Floyd em Another Brick in the wall, vai achar que o sistema educacional inglês/britânico é severo e austero. Isto não existe mais faz uns 20 anos, o sistema se deteriorou muito. E existem muitos ingleses analfabetos funcionais. Se a língua formal não teve muitas mudanças, a linguagem que se fala na rua mudou muito.

É a mesma coisa você abrir um jornal de 50 anos atrás e comparar com a forma que falamos e escrevemos hoje. Assim como estudou Darwin, separando a mesma espécie em habitats diferentes e sem contato direto, forma=se dois grupos distinto s e que, com o tempo, podem se tornam espécies diferentes. A língua é assim, eu até acho que o Português do Brasil e o de Portugal são bem próximos, considerando-se tanto tempo separados.
dandara
A reforma na língua portuguesa é necessária, concordo, mas tudo deve ser feito com parcimônia, não adianta forçar mudança unilateral, deve-se avaliar a necessidade e amplitude dos demais países. Creio que não nos foi ensinado adequadamente os fundamentos da língua pátria: alguém sabe para que servem os tempos verbais? o uso correto do artigo?
Comecei a aprender um pouco mais da beleza da língua quando aventurei-me para além das gramáticas tradicionais e comecei a ler algumas teses de mestrado e trabalhos desenvolvidos na área. Você começa a perceber que Evanildo Bechara e Celso Cunha, embora muito recomendados para estudos, são muito estanques e rarefeitos no ensino da língua portuguesa.
Falta padronização da língua: ambos é numeral dual? existe o numeral coletivo ou todos os coletivos são substantivos? quais são as conjunções adversativas afinal? as palavras gente, multiplicidade, par e centenas de outras são coletivos? Simplesmente não há resposta para estas perguntas, o que existem são opiniões. Isso não é possível.
cparakawa
dandara wrote:
A reforma na língua portuguesa é necessária, concordo, mas tudo deve ser feito com parcimônia, não adianta forçar mudança unilateral, deve-se avaliar a necessidade e amplitude dos demais países. Creio que não nos foi ensinado adequadamente os fundamentos da língua pátria: alguém sabe para que servem os tempos verbais? o uso correto do artigo?
Comecei a aprender um pouco mais da beleza da língua quando aventurei-me para além das gramáticas tradicionais e comecei a ler algumas teses de mestrado e trabalhos desenvolvidos na área. Você começa a perceber que Evanildo Bechara e Celso Cunha, embora muito recomendados para estudos, são muito estanques e rarefeitos no ensino da língua portuguesa.
Falta padronização da língua: ambos é numeral dual? existe o numeral coletivo ou todos os coletivos são substantivos? quais são as conjunções adversativas afinal? as palavras gente, multiplicidade, par e centenas de outras são coletivos? Simplesmente não há resposta para estas perguntas, o que existem são opiniões. Isso não é possível.


Acho que vc está falando de duas coisas diferentes: as mudanças para a padronização da língua portuguesa e o fato do ensino da língua portuguesa no Brasil ser um lixo, na esmagadora maioria das vezes. Eu não vejo uma ligação direta das duas questões: com ou sem reforma ortográfica, não vejo melhorias qualitativas no ensino em geral e no ensino de língua portuguesa, especificamente. Óbvio que no começo vai haver mais confusão, com os meios de comunicação e os professores se adaptando. Após isto, volta o mesmo nível medíocre de sempre ... Confused

[]'s
phantombr
Se começarem ''ensinar certo'' (ou quem sabe 'o novo' seja o termo melhor indicado) para o Ensino Fundamental 1 já no ano que vem (2009), acompanhe comigo o raciocínio...
2009 - 1ª Série .... 8ª Série EF- 2016
2009 - 5ª Série .... 3º Série EM- 2016 (Ensino Fundamental agora tem 9 anos)
2009 - 1º EM ... Especialização - 2016
Ou seja... o pessoal que ta estudando vai chegar ao mercado de trabalho na real mesmo daqui uns 10 anos. Em curto tempo, nada vai 'mudar' (excluindo a mídia...). Pense se EU vou estudar as novas regras da Lingua Portuguesa se mal sei as antigas! e ainda detesto!

É evidente que não.
E o pessoal menos favorecido ?
Que nem tem opção de comprar um gramática nova... (Sem apelação... por favor)

A mudança oficial ocorre agora mas os efeitos práticos ocorrem em ritmo mais lento.
cparakawa
phantombr wrote:
Que nem tem opção de comprar um gramática nova... (Sem apelação... por favor)


Eu tinha 3 gramáticas em casa e nunca consegui ler mais do que 10% de nenhuma delas. Tudo bem, eu não gosto delas ...
gilmariofgl
A final de contas, o que realmente mudou?
phantombr
gilmariofgl wrote:
A final de contas, o que realmente mudou?


Eu sei uma regra nova:
"Se uma palavra polissílaba for paroxítona e ditongos aberto, não usaremos mais acento."

Traduzindo para o português (ops... ''portugues", desculpe...):
"Uma palavra que não indivisível que termine com coisas tipo ''éia" "óia" não terá mais o acento agudo."

Exemplo:
idéia = i-dé-ia = ideia
jóia = jó - ia = joia
pé = pé = pé (indivisível, além de oxítona... mas isso não vem ao caso né auhuah )

Be hell, digo...
Be well
Alice
Pois é, a única coisa que eu já sei e aprendi é que 'idéia' não terá mais o acento agudo, e que lingüiça não tera mais o trema. só! Very Happy ahahahah, tá brabo! Embarassed
cparakawa
Eu só sei que a trema vai acabar. Sacanagem, só porque eu sou uma das poucas pessoas que usa. Evil or Very Mad

Vou decorar aos poucos, ainda vai ter um tempo. E mesmo as coisas que não mudaram e eu escrever errado, vão ser culpa da reforma ortográfica. Very Happy
Alice
cparakawa wrote:
Eu só sei que a trema vai acabar. Sacanagem, só porque eu sou uma das poucas pessoas que usa. Evil or Very Mad

Vou decorar aos poucos, ainda vai ter um tempo. E mesmo as coisas que não mudaram e eu escrever errado, vão ser culpa da reforma ortográfica. Very Happy


ahsuahsuhaus, eu também uso o trema, mas por enquanto só sei essas duas, fora aquelas do hifen que eu ainda tenho que ler mais sobre! AHAHA
Vanilla
Eu tava lendo isso numa Veja nova que meu irmão comprou... Não achei que fosse mudar tanta coisa, vai demorar pra eu decorar tudo. Quando comecei a ler sobre as regras novas todas fiquei até cansada...

Alice wrote:
Pois é, a única coisa que eu já sei e aprendi é que 'idéia' não terá mais o acento agudo, e que lingüiça não tera mais o trema. só! Very Happy ahahahah, tá brabo! Embarassed


Eu to perdidinha com essa história do hífen. Estou vendo que vai ser treta escrever minha monografia esse ano. Logo eu, que sempre achei que escrevia tudo certinho e bonitinho. Rolling Eyes
Alice
Vanilla wrote:
Eu tava lendo isso numa Veja nova que meu irmão comprou... Não achei que fosse mudar tanta coisa, vai demorar pra eu decorar tudo. Quando comecei a ler sobre as regras novas todas fiquei até cansada...

Alice wrote:
Pois é, a única coisa que eu já sei e aprendi é que 'idéia' não terá mais o acento agudo, e que lingüiça não tera mais o trema. só! Very Happy ahahahah, tá brabo! Embarassed


Eu to perdidinha com essa história do hífen. Estou vendo que vai ser treta escrever minha monografia esse ano. Logo eu, que sempre achei que escrevia tudo certinho e bonitinho. Rolling Eyes


Rsrsrs, pois é. Acho que o hífen é que vai pegar todo mundo! Preciso logo ir saber do que mudou, oh vida! rsrs
Deline
Alice wrote:
Vanilla wrote:
Eu tava lendo isso numa Veja nova que meu irmão comprou... Não achei que fosse mudar tanta coisa, vai demorar pra eu decorar tudo. Quando comecei a ler sobre as regras novas todas fiquei até cansada...

Alice wrote:
Pois é, a única coisa que eu já sei e aprendi é que 'idéia' não terá mais o acento agudo, e que lingüiça não tera mais o trema. só! Very Happy ahahahah, tá brabo! Embarassed


Eu to perdidinha com essa história do hífen. Estou vendo que vai ser treta escrever minha monografia esse ano. Logo eu, que sempre achei que escrevia tudo certinho e bonitinho. Rolling Eyes


Rsrsrs, pois é. Acho que o hífen é que vai pegar todo mundo! Preciso logo ir saber do que mudou, oh vida! rsrs


Hífen, han?

Mas então! A moda não pegou ainda né? o.O to desinformadíssima X_x
Alice
Deline wrote:
Alice wrote:
Vanilla wrote:
Eu tava lendo isso numa Veja nova que meu irmão comprou... Não achei que fosse mudar tanta coisa, vai demorar pra eu decorar tudo. Quando comecei a ler sobre as regras novas todas fiquei até cansada...

Alice wrote:
Pois é, a única coisa que eu já sei e aprendi é que 'idéia' não terá mais o acento agudo, e que lingüiça não tera mais o trema. só! Very Happy ahahahah, tá brabo! Embarassed


Eu to perdidinha com essa história do hífen. Estou vendo que vai ser treta escrever minha monografia esse ano. Logo eu, que sempre achei que escrevia tudo certinho e bonitinho. Rolling Eyes


Rsrsrs, pois é. Acho que o hífen é que vai pegar todo mundo! Preciso logo ir saber do que mudou, oh vida! rsrs


Hífen, han?

Mas então! A moda não pegou ainda né? o.O to desinformadíssima X_x


não Dedê, a moda ainda não pegou, rsrs, e vai demorar pra pegar a galere. =P
nando
O Jornal O Dia, do dia 11 de janeiro, fez uma seção apenas da reforma ortográfica. Nele tem um texto pequeno já com as mudanças. Pelo menos eu achei um pouco estranho.

Quote:
A estreia do time de futebol do colégio já estava marcada, mas aguentar a longa espera criara uma paranoia na cabeça do garoto Zezinho, visto pelos coleguinhas como supercraque da equipe, após os três gols no último treino. Um feito heroico, contra uns grandalhões adversários. Na antessala do vice-diretor, o menino esfregava as mãos, intraquilo. Sabia que fizera uma feiura, ao responder de forma antissocial a um professor, e que sofreria as consequências. A ideia da turma era de que seria afastado do time, uma punição frequente nesses casos. Zezinho chegava a sentir-se mal, a ter enjoos, só de pensar no pior. Pensava na festa que perderia, tudo por causa de uma atitude boba, numa tentativa de autoafirmação diante do mestre. Mas um inspetor, o verdadeiro mandachuva da disciplina do colégio, deu a contraordem, para pôr um ponto final na questão: "Creem que vou deixar que nosso time perca, jogando sem Zezinho? Para com isso, pessoal! A punição virá depois, daqui a uns cinquenta dias, quando já tivermos conquistado o troféu do campeonato intercolegial. E se não formos campeões, a gente pela ele, tira o pelo dele", brincou.



Certas palavras ficaram bastante estranhas, mas daqui a pouco a gente se acostuma.
Alice
Pior que tem que acostumar mesmo. Confused
Kashinilaya
Até sou a favor de igualar a língua mundialmente, mas o transtorno é grande! Os livros escolares, especialmente para crianças mais novas, terão que ser trocados. Quem tem muitos filhos e pensou em aproveitar os livros usados para os filhos mais novos amargará um gasto extra no início do ano. Fazer o quê?
gilmariofgl
Em fim
Quote:
O que muda com a reforma da língua portuguesa


HÍFEN
Não se usará mais:
1. quando o segundo elemento começa com s ou r, devendo estas consoantes ser duplicadas, como em "antirreligioso", "antissemita", "contrarregra", "infrassom". Exceção: será mantido o hífen quando os prefixos terminam com r -ou seja, "hiper-", "inter-" e "super-"- como em "hiper-requintado", "inter-resistente" e "super-revista"
2. quando o prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa com uma vogal diferente. Exemplos: "extraescolar", "aeroespacial", "autoestrada"

TREMA
Deixará de existir, a não ser em nomes próprios e seus derivados

ACENTO DIFERENCIAL
Não se usará mais para diferenciar:
1. "pára" (flexão do verbo parar) de "para" (preposição)
2. "péla" (flexão do verbo pelar) de "pela" (combinação da preposição com o artigo)
3. "pólo" (substantivo) de "polo" (combinação antiga e popular de "por" e "lo")
4. "pélo" (flexão do verbo pelar), "pêlo" (substantivo) e "pelo" (combinação da preposição com o artigo)
5. "pêra" (substantivo - fruta), "péra" (substantivo arcaico - pedra) e "pera" (preposição arcaica)

ALFABETO
Passará a ter 26 letras, ao incorporar as letras "k", "w" e "y"

ACENTO CIRCUNFLEXO
Não se usará mais:
1. nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do subjuntivo dos verbos "crer", "dar", "ler", "ver" e seus derivados. A grafia correta será "creem", "deem", "leem" e "veem"
2. em palavras terminados em hiato "oo", como "enjôo" ou "vôo" -que se tornam "enjoo" e "voo"

ACENTO AGUDO
Não se usará mais:
1. nos ditongos abertos "ei" e "oi" de palavras paroxítonas, como "assembléia", "idéia", "heróica" e "jibóia"
2. nas palavras paroxítonas, com "i" e "u" tônicos, quando precedidos de ditongo. Exemplos: "feiúra" e "baiúca" passam a ser grafadas "feiura" e "baiuca"
3. nas formas verbais que têm o acento tônico na raiz, com "u" tônico precedido de "g" ou "q" e seguido de "e" ou "i". Com isso, algumas poucas formas de verbos, como averigúe (averiguar), apazigúe (apaziguar) e argúem (arg(ü/u)ir), passam a ser grafadas averigue, apazigue, arguem

GRAFIA
No português lusitano:
1. desaparecerão o "c" e o "p" de palavras em que essas letras não são pronunciadas, como "acção", "acto", "adopção", "óptimo" -que se tornam "ação", "ato", "adoção" e "ótimo"

Fonte confiável.
nando
E pra quem ainda não sabe, já tem o corretor ortográfico com as novas regras para o firefox. Tem o link de download e as instruções de instalação no site do broffice.
Alice
nando wrote:
E pra quem ainda não sabe, já tem o corretor ortográfico com as novas regras para o firefox. Tem o link de download e as instruções de instalação no site do broffice.


Legal, vou atrás pra instalar aqui! o/
Styrotermica
Sinceramente, não sei pq isso, se nós aprendemos de uma forma no colegio, agora depois, tem qe aprende de novo, é não ter o que fazer, é só pra dificulta a nossa vida e pra eles falarem que fazem alguma coisa
Alice
Styrotermica wrote:
Sinceramente, não sei pq isso, se nós aprendemos de uma forma no colegio, agora depois, tem qe aprende de novo, é não ter o que fazer, é só pra dificulta a nossa vida e pra eles falarem que fazem alguma coisa


é meio sem noção mesmo, mas fazer o que, né? aprender tudo de novo!
legio_maximus
Pela ordem dos Acadêmicos da Língua Portuguesa ... não conseguiremos fazer nada, apenas nos acostumar do que vier e ficar esperto com novas mudanças didáticas e nos concursos, pelomenos eu que ainda estou prestando, terei mais dificuldade em saber o atual português que foi declarado oficialmente neste final de 2008 ... Enfim, já sou um pouco ruim em português, agora sim vejo que tenho que me empenhar mais nesta matéria, no qual nada mais justo eu saber na ponta da Lingua esta Língua Laughing( Piadinha \o_ Cool !! ), talvez porque é a Minha Língua Origem, o mínimo é saber Corretamente suas Pronúncias e Escritas . Wink Wink Wink Wink !!

_______________________________________

Quer Conhecer a Personalidade De Um Homen Question

De POder a Ele ... Exclamation

... Exclamation Exclamation
phantombr
gilmariofgl wrote:
O que muda com a reforma da língua portuguesa


Não pude deixar de imprimir sua síntese e colar ao lado do monitor.
Muito obrigado.
Arthur3009
Não acho que seja certo, e prefiro não aceitar também. Mas faz parte ;x
D'Artagnan
alguém me explica porque a palavra concerto e conserto tem diferença? fala igual , não tem nenhu
Alice
D'Artagnan wrote:
alguém me explica porque a palavra concerto e conserto tem diferença? fala igual , não tem nenhu


Também não vejo diferença nenhuma!
gilmariofgl
D'Artagnan wrote:
alguém me explica porque a palavra concerto e conserto tem diferença? fala igual , não tem nenhu


Concerto
Quote:
Um concerto é uma composição musical caracterizada por ter um ou mais de um instrumento solista com acompanhamento de um grupo.

Concerto pode significar: apresentação ou recital musical, música erudita. Espectáculo, show.


Conserto
Quote:
Concerto.
Ato ou efeito de consertar. Restauração ou recomposição de coisa rasgada, descolada, partida, deteriorada etc.
Fonte
Alice
gilmariofgl wrote:
D'Artagnan wrote:
alguém me explica porque a palavra concerto e conserto tem diferença? fala igual , não tem nenhu


Concerto
Quote:
Um concerto é uma composição musical caracterizada por ter um ou mais de um instrumento solista com acompanhamento de um grupo.

Concerto pode significar: apresentação ou recital musical, música erudita. Espectáculo, show.


Conserto
Quote:
Concerto.
Ato ou efeito de consertar. Restauração ou recomposição de coisa rasgada, descolada, partida, deteriorada etc.
Fonte


A bom! Agora sim! Very Happy
Related topics
Finalmente!!!
Portugas por aki??
[Dúvidas] Pontos
Pedidos de hosting pendentes
Portugal campeão?
Sucesso Financeiro
Final do Programa Soletrando
[Internet] Mozilla protesta contra a Apple
Duvida de lingua portuguesa - Ambiguidade
Facebook em português do Brasil
Revista Programar - 15ª Edição Agosto 2008
Olá!, i' m novo à língua potuguese AJUDA POR FAVOR
Reforma ortográfica - a missão
[Notícia]Não será mais exigido diploma para ser jornalista
Reply to topic    Frihost Forum Index -> Language Forums -> Portuguese

FRIHOST HOME | FAQ | TOS | ABOUT US | CONTACT US | SITE MAP
© 2005-2011 Frihost, forums powered by phpBB.