FRIHOSTFORUMSSEARCHFAQTOSBLOGSCOMPETITIONS
You are invited to Log in or Register a free Frihost Account!


Como vai Portugal?





hive
Essa é para os Portugueses aqui do forum.
Como está a situação de Portugal? Como está a economia e a qualidade de vida aí em Portugal?
Voces tem o que reclamar ou são só elogios?
Gostaria de saber a opnião dos portugueses do forum

Exclamation
rj123
Bem, dizem que estamos a sair de uma crise económica, mas lá no fundo ninguém sente isso, a verdade é que continuamos na miséria

Wink
romaop
Parece que a CEE sabe mais do estado de Portugal do que os adormecidos políticos portugueses. Para os novos países da CEE é-lhes dito que evitem a cópia daquilo que se tem feito em Portugal.
O rj123 diz bem: "dizem que estamos a sair de uma crise económica". Já oiço essa há muito tempo. A verdade é que grandes empresas portuguesas estão condicionadas por capital e interesses de companhias estrangeiras. A dependência pelo petróleo está a agravar o endividamento do país. E o desemprego atinge níveis até agora nunca antes navegados.
São estes sinais de retoma económica?
Vejamos outros dados preocupantes. Existiram passagens de ano em Portugal em que uma só pessoa pagou 300 contos só numa noite. A TVI noticiou diversas passagens de ano de luxo. Essas pessoas andam a gastar balúrdios numa noite quando Portugal está em crise. Os sinais externos de riqueza parece que afinal não contam para as Finanças. Este é o estado de Portugal. Uns pagam pelos outros.
cparakawa
romaop wrote:
Parece que a CEE sabe mais do estado de Portugal do que os adormecidos políticos portugueses. Para os novos países da CEE é-lhes dito que evitem a cópia daquilo que se tem feito em Portugal.
O rj123 diz bem: "dizem que estamos a sair de uma crise económica". Já oiço essa há muito tempo. A verdade é que grandes empresas portuguesas estão condicionadas por capital e interesses de companhias estrangeiras. A dependência pelo petróleo está a agravar o endividamento do país. E o desemprego atinge níveis até agora nunca antes navegados.
São estes sinais de retoma económica?
Vejamos outros dados preocupantes. Existiram passagens de ano em Portugal em que uma só pessoa pagou 300 contos só numa noite. A TVI noticiou diversas passagens de ano de luxo. Essas pessoas andam a gastar balúrdios numa noite quando Portugal está em crise. Os sinais externos de riqueza parece que afinal não contam para as Finanças. Este é o estado de Portugal. Uns pagam pelos outros.


No Brasil nao eh muito diferente ...
Bockman
É verdade que a máquina fiscal portuguesa nunca funcionou (e assim continua), mas tem havido melhorias. o cruzamento de dados já começa a dar frutos, embora poucos.

Na verdade penso que para sair da crise actual bastava conseguir que 85% (não tou a pedir assim tanto) da população pagasse os impostos devidos e não o inverso. a grande maioria das empresas e pessoas foge ao fisco (de forma mais legal ou menos legal) e dá informações erradas. Se todos pagassem os impostos, garantidamente os impostos baixavam e a competitividade aumentava.

Be Well Cool
romaop
Os progressos são pequenos devido à complexidade de interesses que minam qualquer desenvolvimento. Não é só uma questão de Finanças. É necessário que as pessoas de todos os sectores de actividade executem, de facto, as tarefas propostas. Por exemplo, existem leis, porque não aplicá-las?
É necessário que hajam empresários que procurem enriquecer o país investindo e gerindo negócios a longo prazo, e que apostem na ciência, na concepção de novos produtos, na criação de equipas especializadas. Que não façam empréstimos avultados em bancos estrangeiros (se os podem realizar em bancos nacionais) e que não fujam ao fisco porque arquitectam uma política de ausência de lucro. As entidades da concorrência servem para desmembrar empresas fortes? Com isto tudo, os abutres vão pairando na bolsa, e uma subida da cotação de uma empresa nacional (será que é ainda nacional?) não significa que esta está mais forte, mas que uma pequena parte dela já lá canta nas garras dessa ave (raramente enjeita a oportunidade).
O nosso escudo estaria bem gasto se não estivéssemos na CEE. Gastámos à grande e à portuguesa os fundos da CEE e agora será que queremos mais? Agora já estamos catalogados como os maus alunos, os cábulas, ou pior, os pedintes drogados (pedir para consumir). Já ninguém nos dá fiado.
Na realidade, estou a exagerar um pouco. Não é só em Portugal que há corrupção. O nosso país tem algum crédito e há gente de qualidade que quer melhorá-lo. Mas estas aves (raramente enjeitam uma oportunidade) estão a tornar rarefeito o pouco de nacional que ainda existe.
PS: não me refiro às águias, mas não falemos de futeboys, ok? Seriedade, está bem, que o assunto assim o exige...
cparakawa
Nao sou portugues, nunca morei em Portugal. Entretanto, tenho amigos portugueses. Espero nao aborrecer ninguem com os comentarios.

Quote:
Os progressos são pequenos devido à complexidade de interesses que minam qualquer desenvolvimento. Não é só uma questão de Finanças. É necessário que as pessoas de todos os sectores de actividade executem, de facto, as tarefas propostas. Por exemplo, existem leis, porque não aplicá-las?


Que eu me lembre, nunca houve em Portugal um interesse de buscar um desenvolvimento de longo prazo. Nao existe interesse das elites/grupos dominantes em levar a cabo um processo de desenvolvimento a longo prazo. Fica dificil imaginar que as pessoas vao se unir do nada. Mesmo na ditadura de Salazar (que caiu de podre), nao houve plano para o pais. No Brasil houve um plano de desenvolvimento por parte da ditadura. Sou contrario as ditaduras, soh estou dando um exemplo.

Quote:
É necessário que hajam empresários que procurem enriquecer o país investindo e gerindo negócios a longo prazo, e que apostem na ciência, na concepção de novos produtos, na criação de equipas especializadas. Que não façam empréstimos avultados em bancos estrangeiros (se os podem realizar em bancos nacionais) e que não fujam ao fisco porque arquitectam uma política de ausência de lucro. As entidades da concorrência servem para desmembrar empresas fortes?


Vc sugere que exista um espirito schumpeteriano no empresariado (no sentido de renovador, tanto em oportunidades quanto tecnologico). Este tipo de espirito, em larga escala, depende do espirito empresarial dentro da propria cultura portuguesa. Soh que isto eh muito limitado num pais de tracos ainda mercantis.

Nao existe o negocio de preferir fazer operacoes financeiras por meio de grupos nacionais a menos que haja coacao. A empresa tem que dar lucro, o emprestimo eh tomado junto ah instituicao que oferece as melhores condicoes. Se a Caixa Geral de Depositos cobra uma taxa de juros maior que o Hsbc ou o Santander, eh burrice optar pela empresa nacional.

Os orgaos que foram criados para manter a concorrencia tem que manter uma visao mais aberta do sistema. Uma PT pode ser monopolista em territorio portugues, mas sem isto ela pode nao ter escala para se manter competitiva em termos internacionais. Ou se lacra o pais, evitando a entrada de empresas estrangeiras, ou se dah uma ampla liberdade as empresas para que elas nao sejam destruidas pela concorrencia externa.

Quanto ao fisco, rico foge do imposto em qqer lugar do mundo. Seja Portugal, Estados Unidos ou Brasil. Eh elisao fiscal, a capacidade de driblar os impostos dentro da lei - que sempre possui brechas. Sonegacao eh crime e, em geral, eh combatida. Elisao estah dentro da lei.

Quote:
Gastámos à grande e à portuguesa os fundos da CEE e agora será que queremos mais? Agora já estamos catalogados como os maus alunos, os cábulas, ou pior, os pedintes drogados (pedir para consumir). Já ninguém nos dá fiado.


Qdo Portugal e Irlanda entraram na CEE (posterior UE), estavam no mesmo nivel de pobreza, os patinhos feios da Europa Ocidental. Hoje a Irlanda tem uma renda per capita maior que a do Reino Unido (ex-metropole). Portugal virou mal exemplo. A pobreza (pros padroes do oeste europeu) nas areas agricolas irlandesas continua igual as portuguesas. O que mudou a situacao foi a capacidade do governo irlandes em modernizar o pais, especialmente nas grandes areas urbanas (Dublin), atraindo investimentos externos que, somados aos recursos da CEE/UE, ajudaram a alavancar a situacao da Irlanda.

E a situacao agora fica pior, jah que entraram paises mais pobres na UE e cessam os investimentos do governo de Bruxelas para Portugal. Eh hora do pay back e Portugal perdeu outra chance.

Quote:
Na realidade, estou a exagerar um pouco. Não é só em Portugal que há corrupção. O nosso país tem algum crédito e há gente de qualidade que quer melhorá-lo. Mas estas aves (raramente enjeitam uma oportunidade) estão a tornar rarefeito o pouco de nacional que ainda existe.
PS: não me refiro às águias, mas não falemos de futeboys, ok? Seriedade, está bem, que o assunto assim o exige...


O fato que mais demonstra a longevidade da estagnacao portuguesa eh o fato de existir uns 2 portugueses no exterior para cada habitante de Portugal. O maior influxo de dinheiro eh proveniente dos portugueses no exterior que mandam recursos pra casa. Eh algo lamentavel. No Brasil eh igual, o maior produto de exportacao, nos ultimos dez anos, se tornou a massa de milhoes de brasileiros no exterior que fazem remessas de volta. Na minha opiniao, situacoes como esta soh podem ser quebradas se houver uma mudanca de visao por parte dos grupos que governam o pais. Se eles olham soh pro umbigo, a situacao deve continuar assim por mais outros 200 anos.
romaop
cparakawa fez uns comentários interessantes que subscrevo. É necessário fugir de uma vez por todas ao espírito doentio dos descobrimentos portugueses. É necessáriio conseguir driblar interesses e falsas ideias de igualdade de oportunidades entre empresas porque o que cada país faz, ou deve fazer, é defender as suas próprias empresas. Não venham com falsos moralismos os senhores da CEE. Portugal precisa de se impor reivindicando a necessidade de tornar saudável a sua economia. É claro que isto deve ser feito com muito tacto, tal como o fazem países como a Espanha.
Quanto ao investimento na banca estrangeira questiono porque é que não há bancos nacionais com taxas de juro competitivas para grandes investimentos que são fulcrais para a saúde das finanças nacionais. Se o Estado intervem lá vem a CEE meter-se onde não é chamada. O mesmo não acontece em situações semelhantes noutros países. Por isso, é necessária uma forte liderança e um grupo de pessoas realmente interessadas em mudar o país para melhor e que saibam defender o que ainda é nosso.
Não se culpem apenas os empresários, é preciso dar-lhes condições.
As mentalidades têm mesmo que mudar nos grupos de decisão, para que haja maior cooperação entre empresas nacionais e se invista em vez de se viver apenas de serviços.
cparakawa
Quote:
Quanto ao investimento na banca estrangeira questiono porque é que não há bancos nacionais com taxas de juro competitivas para grandes investimentos que são fulcrais para a saúde das finanças nacionais. Se o Estado intervem lá vem a CEE meter-se onde não é chamada. O mesmo não acontece em situações semelhantes noutros países. Por isso, é necessária uma forte liderança e um grupo de pessoas realmente interessadas em mudar o país para melhor e que saibam defender o que ainda é nosso.


Eu tenho um amigo portugues que fez mestrado comigo. Ele dizia que a situacao de Portugal (em 2001) jah estava ruim e ia piorar ainda mais quando acabassem as verbas de Bruxelas (2006). Nao sei se mudou algo. O primo dele era engenheiro mecanico e se mudou pra Londres pra lavar prato. Assim nao tem pais que jah pra frente.

Em relacao ah formacao dos juros bancarios, eles dependem de muito mais do que da ganancia dos bancos. Eh necessario que haja uma boa malha de captacao que permita tomar capital junto ao mercado a precos (juros) competitivos. Depende da estrutura de tributacao do governo portugues. Depende de como funcionam os mecanismos que regulam a atividade bancaria, como o controle sobre o multiplicador bancario e a alavancagem. Entre outros fatores.

De forma mais sucinta, o capital eh mais barato onde hah abundancia do mesmo. Se o capital eh escasso, ele eh mais caro. Entretanto, nada impede uma pessoa, empresa ou banco de tomar dinheiro em mercados externos. Na minha opiniao, os Bancos portugueses sao muito pequenos perto dos grandes conglomerados financeiros, acabando por nao ter acesso a capital mais barato. Fora que, aparentemente, os bancos portugueses sao estruturalmente menos modernos. Bancos como o Citibank, HSBC e Santander Central-Hispano se firmaram no Brasil. Os portugueses bateram em retirada (a Caixa e outro que nao me recordo o nome). Os grandes bancos brasileiros de varejo (Itau/Bradesco) estao em Portugal?
gnomme
o que vai de mal em Portugal é que so sabemos dizer mal...queixar...ai eu sou um coitado..ai eu não tenho dinheiro...ai isto...ai aquilo...
No entanto todos têm celulares topo de gama, cada vez que ando na autoestrada só vejo carros de luxo, cada pessoa tem mais de uma casa...
bem, mas afinal onde está a crise!!
E se em vez desse queixume todo começassemos a dar ideias, a produzir mais?
Vou criar um topico a proposito disto!
"Sugestões e ideias para tirar Portugal da Crise"
Convido-vos a participar e contribuir Exclamation
cparakawa
gnomme wrote:
o que vai de mal em Portugal é que so sabemos dizer mal...queixar...ai eu sou um coitado..ai eu não tenho dinheiro...ai isto...ai aquilo...
No entanto todos têm celulares topo de gama, cada vez que ando na autoestrada só vejo carros de luxo, cada pessoa tem mais de uma casa...
bem, mas afinal onde está a crise!!
E se em vez desse queixume todo começassemos a dar ideias, a produzir mais?
Vou criar um topico a proposito disto!
"Sugestões e ideias para tirar Portugal da Crise"
Convido-vos a participar e contribuir Exclamation


Nao sei, afinal nao sou portugues nem moro aih.

O que eu entendi eh que nao existe crise. O que existe eh um desvio na percepcao geral, pois pululam indicios de que as coisas estao bem. Soh ha falta de auto-estima e pessimismo.

Entao, pra que sugestoes e ideias pra tirar Portugal da Crise?
Soh se for crise percepcional ou de identidade.

[]'s
Ka7raK
Muito simplesmente, temos de mudar a mentalidade. Redefinir as prioridades e deixarmos de ser preguiçosos.

Ter um carro modernaço deve dar lugar a pagar o empréstimo da casa que pode ser um T3 em Alfornelos em vez de um T0 em Lisboa (quase pelo mesmo preço).

Toda a gente querer ter um telemóvel topo de gama é uma coisa que me dá imensa diversão. Não há adolescente que não queira o último modelo da Nokia. Eu contento-me com um barato sem grandes funcionalidades porque me parece que o telemóvel é apenas necessário para mensagens e/ou chamadas. Prefiro comprar roupa mais cara do que poupar dinheiro para ter um telemóvel estiloso.

and the list goes on ... Razz
romaop
Cparakawa, obrigado pelos esclarecimentos ao nível das taxas de juro da banca. Tenho poucos conhecimentos nessa área, mas percebo que é complexo ter taxas de juro baixas. O que eu sugiro é que sejam criadas condições de excepção só para alguns investimentos considerados cruciais.

Aqui em Portugal não conheço esse banco (Itau/Bradesco). Pode ser que esteja associado com outro banco. Cá existem alguns bancos estrangeiros: Barclays, Credit Lyonnais, Santander...

Achei subtil a observação de Cparakawa às palavras de gnomme. A crise de facto existe. As pessoas estão a viver acima das suas possibilidades. Basta olhar para os anúncios da televisão e observamos que ocorreu uma alteração radical. Abundam os anúncios de empréstimos: Cofidis, ... Sem dinheiro o português lá vai pedir fiado para passar a vida inteira a pagar juros.

Sugiro ao gnomme que leia as minhas sugestões e que diga se concorda ou não, ou apresente as suas.
Não há crise? É claro que há. Mas Portugal também não é um país do 3º mundo...

Outra questão prende-se com o queixume dos portugueses. Aqui temos que separar o queixume banal (bastante frequente) de uma real discussão dos problemas do país.

Vejamos alguns factos recentes: Morreram 6 pescadores com o seu barco encalhado a cerca de 40m do areal de uma praia (isto lembra-me a expressão popular "morrer na praia"). Não existiram condições para os salvar: falta de helicópteros, demasiado tempo para chegar à praia, não utilização de bombeiros locais, não utilização de todas as técnicas e meios possíveis para efectuar o salvamento. Independentemente de ter existido ou não o incumprimento de normas de segurança por parte dos pescadores, não é aceitável que só haja um helicóptero no Montijo, a cerca de 80km da praia. Talvez seja um pouco menos (será 70 km ou um pouco mais)... não estou com pachorra para ver no Google Earth.
O farol de Tavira tem a lâmpada fundida já há bastante tempo. Por enquanto nenhum acidente ocorreu...

Talvez não seja crise mas antes miséria...
Não, na realidade também é crise, porque como já afirmei Portugal tem que investir muito mais no sector industrial.

Agora vejo que há um novo post do ka7rak. Concordo com a sua perspectiva. Também o povo está mal habituado e precisa de mudar, o que não pode acontecer de um dia para o outro.
Related topics
[GERAL] - Parabéns (Área aos Cuidados de Quem?)
[Geral] Ano Eleitoral
[Euromilhões] Que fazias se ganhasses?
PHP ligações a bases de dados
PHP com mysql no servidor ' NO-IP ' alguem sabe?
Portugal campeão?
PROBLEMAS NO FTP
Wii - Novo videogame da Nintendo
Lançamento do IE 7, final release
os Dez Passos Da Microsoft Para Criar Um Programa
PAN RIO 2007
Que horas são? Onde você está?
Plante uma árvore com um clique! [CLIQUE ÁRVORE]
Vestibular e Faculdade: O que faz, o que fará?
Reply to topic    Frihost Forum Index -> Language Forums -> Portuguese

FRIHOST HOME | FAQ | TOS | ABOUT US | CONTACT US | SITE MAP
© 2005-2011 Frihost, forums powered by phpBB.