FRIHOSTFORUMSSEARCHFAQTOSBLOGSCOMPETITIONS
You are invited to Log in or Register a free Frihost Account!


> Governo e NET assinam termo de adesão ao Programa Banda





gueda
Serviço de internet rápida será oferecido por até R$ 29,80

Quote:
A Secretaria da Fazenda e a operadora NET Serviços firmaram termo de adesão que habilita a empresa a oferecer ao mercado pacotes completos de acesso rápido à internet dentro do programa Banda Larga Popular do Governo estadual. A assinatura do termo aconteceu nesta terça-feira, 22, durante reunião com o secretário da Fazenda Mauro Ricardo Costa; o secretário de Gestão Pública Sidney Beraldo; e o presidente da NET Serviços José Antonio Guaraldi Félix.

Instituído pelo decreto nº 54.921, o programa contribui para a inclusão digital ao viabilizar, principalmente às pessoas de menor poder aquisitivo, a oferta de serviços de internet de alta velocidade a custo reduzido. A ampliação do acesso à internet banda larga amplia também a integração dos cidadãos aos serviços online oferecidos pelo governo de São Paulo como o sistema da Nota Fiscal Paulista e o Emprega São Paulo, entre outras iniciativas.

De acordo com o secretário, Mauro Ricardo Costa, há um grande número de domicílios que poderá fazer a opção pelo novo serviço. "São pessoas que hoje não têm acesso ou usam Internet discada. Com o programa, estamos efetivamente promovendo a inclusão digital desta população", afirmou.

O programa Banda Larga Popular, lançado pelo governador José Serra em outubro de 2009, tornou o serviço de internet em alta velocidade acessível à população por meio da redução de 25% para zero da alíquota do ICMS que incide sobre esse serviço. Pagando no máximo R$ 29,80 por mês, o usuário do pacote popular terá direito a um modem (aparelho que permite a conexão), instalação e os serviços do provedor de internet com velocidade mínima de 200 Kbps (Kilobits por segundo) e máxima de 1 Mbps (Megabits por segundo). O acesso à internet será ilimitado, sem restrições de horário ou de volume de tráfego de dados.

"A internet rápida é uma importante ferramenta de desenvolvimento social e econômico. Há estudos que relacionam o aumento do número de empregos e do PIB com o crescimento do acesso à banda larga. Portanto, essa iniciativa vai contribuir ainda mais para o progresso de São Paulo", disse o secretário Sidney Beraldo.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do IBGE, mostram que 2,5 milhões de domicílios poderão ser beneficiados. São usuários que têm computador e não acessam a internet ou utilizam a internet discada. Com o programa, a expectativa do Governo é de que a metade dos lares paulistas passe a contar com internet de alta velocidade. Segundo informações do IBGE de 2009, em todo o Estado, 31,4% dos lares têm acesso à internet banda larga. A internet discada chega a 12,7% das residências. A sondagem mostra que 58% das pessoas que possuem computador e não acessam a internet apontam o custo como a principal barreira. Com o programa, a expectativa do governo e de que a metade dos lares do Estado passe a contar com internet de alta velocidade.

Conforme o presidente da NET Serviços, José Antonio Guaraldi Félix, a banda larga popular já estará disponível a partir desta quarta-feira, dia 23/12, para os consumidores de São Paulo. "Temos hoje uma plataforma que nos permite oferecer desde o plano mais simples até os de maior velocidade, o que deve ajudar o serviço a deslanchar ainda mais", afirmou.

Programa Banda Larga Popular
Preço mensal do pacote: até R$ 29,80 (as operadoras são livres para cobrar menos)
O que inclui: modem, instalação, provedor de internet
Condições: apenas para pessoas físicas. Um contrato por endereço e por CPF
Velocidade da conexão: mínima de 200 Kbps e máxima de 1 Mbps
Como contratar o serviço: os interessados devem procurar as empresas prestadoras de serviço de acesso à internet por banda larga
Taxas:
Não há taxa de habilitação nem multa de cancelamento
Reinstalação do serviço se solicitada antes de 12 meses após o desligamento: até R$ 100
Cancelamento de assinatura de outro serviço para migração para a banda larga popular: até R$ 100
Assistência técnica em domicílio para defeitos causados pelo usuário: até R$ 50

Lembrando:

3 - nos casos em que a utilização do serviço pelo tomador ultrapasse o limite mensal para transferência de dados de 10 (dez) gigabytes (Gb), a empresa prestadora do serviço poderá reduzir a velocidade de transferência de arquivos eletrônicos respeitada a velocidade mínima de 100 Kbps (cem kilobits por segundo) e vedada qualquer cobrança pela utilização excedente;
4 - deverá estar disponível a todos os assinantes da prestadora, salvo nos casos em que haja inviabilidade técnica;

--------

Ademais, o Brasil possui como meta atingir velocidade mínima de conexão de 2MB a um custo de R$ 30,00 até 2014 (e não mais 200kb/s como minimo). A partir de janeiro inica-se os investimentos de 75 bilhões de reais na área pelo governo Federal (eleitoreira apenas? espero que não)

Grande problema: prioridade aumentar o acesso e número de lares com internet, ou seja, vão priorizar a "maldita inclusão digital", espero que lembrem-se de arrumar os backbones e as conexões intercontinentais.
No mais, para aqueles usuários p2m que acessam na discada (eu mesmo baixei muitos filmes na discada) ou não possuem condições financeiras de pagar 70~80 reais mensais por uma banda larga, pode ser uma ótima oportunidade.

Fonte: decreto nº 54.921, notícia da Secretaria Fazenda SP e contato no Senado Federal.


---

Vou citar um pedaço do artigo para verem que todos podem ter acesso ao serviço: (o decreto na íntegra pode ser visto na Imprensa Oficial - Decreto nº 54,921)

5 - o contrato de prestação de serviço não poderá conter cláusula que preveja:
a) duração mínima do contrato superior a 12 (doze) meses;
b) exigência de contratação de outros serviços prestados pela empresa de comunicação ou de terceiro por ela indicado, exceto na hipótese prevista no § 4º.
§ 6º - O benefício de que trata este artigo aplica-se:
1 - a um único contrato firmado entre a prestadora de serviço e a pessoa física, devidamente identificada por seu número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) da Receita Federal do Brasil;
2 - a um único contrato para cada endereço.
Guardian
Não é bem uma Finlândia da vida (http://olhardigital.uol.com.br/digital_news/noticia.php?id_conteudo=9536) mas já é um começo...

Será que finalmente a febre da lan house irá acabar!? Se bem que não é qualquer computador que roda CS... (Odeio lan house, nunca vi falarem tanto palavrão em tão pouco tempo...)

Será que o número de "banca de CD's" irá aumentar também? rs

Vamos ver no que vai dar...
Liques
Muito legal msm. Very Happy

Não sei se é só impressão minha... mas tem algo que deixa muito triste em questão a população brasilia usar internet. Parece que uns 80% só usam a internet para entretenimento. Só quando são obrigadas, usam para algo realmente 'útil', como no caso de pesquisar para trabalhos escolares.

Eu pessoalmente fico bem triste com isso... desde criança eu trato a internet como uma livraria gigantesca, onde eu consiguiria aprender tudo o que eu quisesse. Se o pessoal usasse a internet para ter mais conhecimento, nossa cultura, economia e até a política mudaria.

Sempre que eu posso, tento convencer alguns amigos adolescentes que usar a internet para aprender novas coisas é legal, mas eles sempre me respondem que já tem a escola pra isso. Rolling Eyes
nando
Liques wrote:
Muito legal msm. Very Happy

Não sei se é só impressão minha... mas tem algo que deixa muito triste em questão a população brasilia usar internet. Parece que uns 80% só usam a internet para entretenimento. Só quando são obrigadas, usam para algo realmente 'útil', como no caso de pesquisar para trabalhos escolares.

Eu pessoalmente fico bem triste com isso... desde criança eu trato a internet como uma livraria gigantesca, onde eu consiguiria aprender tudo o que eu quisesse. Se o pessoal usasse a internet para ter mais conhecimento, nossa cultura, economia e até a política mudaria.

Sempre que eu posso, tento convencer alguns amigos adolescentes que usar a internet para aprender novas coisas é legal, mas eles sempre me respondem que já tem a escola pra isso. Rolling Eyes


Estou incluído nos 20% dos Brasileiros. Uso basicamente a internet por informação, pesquisas e para o banco.
Orkut não tenho, Msn sempre "ocupado" e por ar vai.
escritor
Liques, não sei se é algo bom ou ruim para você, mas não é só a população brasileira. Adolescentes de todo o mundo usam a Internet de forma parecida.
Vanilla
Depois a gente fala "Maldita inclusão digital" e tem quem olhe feio. É bonita a iniciativa, tem toda aquela coisa que todo mundo gosta de falar que é a tal da "oportunidade", mas né. Você vê que o povo vai ficar brincando de criar álbum no orkut e passar o dia no MSN. Sem internet eu não teria conseguido fazer meu TCC (só tinha material bom sobre o assunto em artigos em inglês). Eu acho que o que falta é ensinar a usar a internet. Que não é só orcute emiéssiêni. O Lula gosta de falar em "ensinar a pescar ao invés de dar o peixe". Podia fazer o mesmo com essa história de internet barata pra todo mundo.
rafael2112
Liques wrote:


Não sei se é só impressão minha... mas tem algo que deixa muito triste em questão a população brasilia usar internet. Parece que uns 80% só usam a internet para entretenimento. Só quando são obrigadas, usam para algo realmente 'útil', como no caso de pesquisar para trabalhos escolares.


Deve ser em outros países também, mas talvez em uma proporção menor, veja que o entretenimento ou a procura de satifazer desejos de forma direta ou indireta é o principal motivo por pessoas comprarem computador e pagar por acesso a rede.

Realmente sem internet não sei o faria, realmente é biblioteca gigantesca posivelmente se acha até livros gratuitos e também ultilizo alguns softwares gratuitos sem eles não sei o que faria.

MSN e ORKUT não são ruins se analizar, mais sim mal usados.
rafael2112
Também é bom mencionar que na escola pode não ser tão nescessário. A escola tem função de ensinar o básico que está no cronograma de ensino informações da rede seria algo adicional não muito usada.
gilmariofgl
Usuários de informática do Nordeste ficam a ver navios quando o assunto é internet de alta velocidade. Sem exceção, hoje quem depende de uma conexão à web para trabalhar, ou apenas quer se divertir, encontra-se à mercê de um cenário onde quase não existe concorrência. Tudo isso já em um começo, mas que pena que a repercussão aqui seja tão lenta. Os preços e planos daqui do Nordeste em relação as outras regiões exceto o Norte deixa qualquer um irritado.
gueda
gilmariofgl wrote:
Usuários de informática do Nordeste ficam a ver navios quando o assunto é internet de alta velocidade. Sem exceção, hoje quem depende de uma conexão à web para trabalhar, ou apenas quer se divertir, encontra-se à mercê de um cenário onde quase não existe concorrência. Tudo isso já em um começo, mas que pena que a repercussão aqui seja tão lenta. Os preços e planos daqui do Nordeste em relação as outras regiões exceto o Norte deixa qualquer um irritado.


os preços aí estão assustadores mesmos, mas uma amiga minha que mora no Recife possui internet melhor que a minha com preço mais barato, agora fiquei na dúvida se ela falou certo ou não.

Atualizando o post, a telefônica assinou com o Governo e agora ingressou no programa de internet popular também, nos mesmos termos mencionados no primeiro post
cparakawa
rafael2112 wrote:
Também é bom mencionar que na escola pode não ser tão nescessário. A escola tem função de ensinar o básico que está no cronograma de ensino informações da rede seria algo adicional não muito usada.


Eu realmente não sei se é a função da escola ensinar o básico. Os melhores sistemas educacionais de outros países, pelo que eu saiba, são pautados em duas coisas: preparar para o mercado de trabalho e formar cidadãos. Ensinar o básico fica aquém disto, e nem isto a média do sistema educacional brasileiro consegue. A informática/internet nas escolas PODERIA representar um salto qualitativo na educação. O mais provável é superfaturarem os computadores e colocarem professores com péssima formação para ensinar alunos desinteressados em aprender. Fora que a conexão deve ser lenta ...
rafael2112
cparakawa wrote:
rafael2112 wrote:
Também é bom mencionar que na escola pode não ser tão nescessário. A escola tem função de ensinar o básico que está no cronograma de ensino informações da rede seria algo adicional não muito usada.


Eu realmente não sei se é a função da escola ensinar o básico. Os melhores sistemas educacionais de outros países, pelo que eu saiba, são pautados em duas coisas: preparar para o mercado de trabalho e formar cidadãos. Ensinar o básico fica aquém disto, e nem isto a média do sistema educacional brasileiro consegue.


Sim foi esse meu ponto, não consegue ensinar o básico, mais estou nas areas da exatas, onde o básico de matematica e português é nescessário. A escola tem um conograma e um tempo para aplicar, muitas vezes não sobra tempo para uma atividade extra, a não ser em escola integral.
Tinha acesso a internet na faculdade, onde rede aparentemente seria mais útil, a maioria (incluindo eu) usava para ver outras coisas que não tinha nada ver com que estava estudando.
nando
rafael2112 wrote:

Tinha acesso a internet na faculdade, onde rede aparentemente seria mais útil, a maioria (incluindo eu) usava para ver outras coisas que não tinha nada ver com que estava estudando.


Como o disse o cparakawa: "professores com péssima formação para ensinar alunos desinteressados em aprender".

E isto é bastante comum, principalmente no ensino fundamental e médio.
prinfo
Acho boa a iniciativa ... E quanto aos comentários contrários, não entendo... Seria medo de que pessoas hoje consideradas "ignorantes" tenham seus horizontes ampliados e a concorrencia aumentaria??? Acho uma exelente iniciativa, contando que boa parte de nossa população é carente.
cparakawa
prinfo wrote:
Acho boa a iniciativa ... E quanto aos comentários contrários, não entendo... Seria medo de que pessoas hoje consideradas "ignorantes" tenham seus horizontes ampliados e a concorrencia aumentaria??? Acho uma exelente iniciativa, contando que boa parte de nossa população é carente.


Eu acho válido enquanto possibilidade para a sua visão otimista. É ruim porque nós vamos ter que pagar a conta. Possivelmente, o dinheiro seria melhor empregado na melhoria da qualidade de ensino. SE fosse prioridade do governo e da própria população.

Traçando um paralelo, é só ver o caso das TV Cultura (SP) e da TVE. Foram anos tentando "empurrar" programação de qualidade. Só que as pessoas tem a liberdade de escolha. E a maioria escolhe a porcaria "mainstream". Deve ser assim na maioria dos países, eu não guardo muita expectativa favorável.

No caso da internet, é a mesma coisa. A grande maioria não vai tentar ficar "menos ignorante" ou tentar ter seus "horizontes ampliados". Eu acho importante pelo direito à informação. Mas, numa democracia (ou pelo menos democracia representativa), o único momento/local em que a pessoa deveria ser OBRIGADA a absorver informação de qualidade é a escola. Se a aula média já é um lixo - culpa de alunos, professores, pais e governo, imagine com acesso à internet full-time. Pelo que eu me lembre, os CDFs já se viravam antes do advento da internet comercial, pelo menos a maioria da população tem acesso a bibliotecas públicas e gratuitas.

Em outras palavras, a universalização do acesso à internet facilita a busca de material específico e de relevo. Entretanto, isto é objetivo de parcela diminuta da população.

Dentro da política de "pão e circo", a internet tem mais é que ser universal e que se danem as TVs. Very Happy
phantombr
Tenho uma dúvida a respeito desse programa de banda larga: será aberto a toda população ou apenas apra integrantes de renda mínima?
cparakawa
phantombr wrote:
Tenho uma dúvida a respeito desse programa de banda larga: será aberto a toda população ou apenas apra integrantes de renda mínima?


http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100301/not_imp517477,0.php
http://economia.estadao.com.br/noticias/not_7912.htm
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100224/not_imp515251,0.php

Na verdade os assuntos se misturaram. O governo Lula tem um projeto de universalização da banda larga, inclusive chegou a prometer por R$10,00 pm, o que é um preço muito baixo dependendo do local - ou extremamente baixo. Impossível não é, visto que em alguns países a banda larga é brinde oara quem assina TV por assinatura, plano de celular ou mesmo plano de telefonia fixa.

Não seria um plano apenas para quem tem baixa renda, mas também para os locais em que não há acesso à banda larga.

Eu mencionei os países que já oferecem banda larga de brinde, ou por preços bem baixos.

A lógica é que, com o crescimento do número de celulares, o telefone fixo se torna um opcional para a maioria. Se a maioria dentro de casa tem celular, telefone fixo é para a secretária eletrônica e, talvez, para algum serviço tipo fax. Se a empresa de telefonia não oferece banda larga, é mais fácil mandar desinstalar e parar de pagar o telefone fixo, em muitos casos. Então a companhia de telefonia fixa oferece acesso à banda larga, mesmo por meio de outros, e recebe pelo uso da rede e a "tarifa básica" obrigatória.

Por quê não funciona no Brasil? Primeiro, a guerra de competição da telefonia móvel não chegou em estado tão avançado. Mais importante do que isto, o custo de instalação do DSLAN (central local de banda larga) não compensa para locais com poucos habitantes e/ou renda muito baixa.

A conta é simples. Se o equipamento custa USD 10.000, no Brasil chega por uns USD 30.000, considerando os vários impostos a serem pagos. Além disto, a taxa de juros no Brasil é muito mais elevada, e a empresa financia este tipo de equipamento. Então, suponho que o mesmo equipamento acabe custando umas 4 ou 5 vezes mais caro. Se a localidade não conseguir dar retorno, é melhor nem instalar.

Então não é questão da empresa não instalar porque ela é má. Ninguém vai instalar uma aparelhagem desta para ter prejuízo. A Net entrou no acordo porque a rede já está lá.

O projeto do Lula é (re)criar uma estatal que garanta acesso à internet em locais sem viabilidade financeira para as empresas já constituídas fornecerem o serviço. O mais provável é o serviço não ter aquela qualidade, podendo ficar caro mesmo assim e dando prejuízo, a ser pago por todos os que usam e não usam o serviço.

O que as empresas de telefonia querem é a utilização dos recursos já existentes (Fust, por exemplo) e que o governo retira do setor e não dá contrapartida. Diminuição de impostos e financiamento via BNDES também.

Conforme citam as matérias acima, não dá tempo mais neste atual governo, fica para o próximo. Se por um lado a universalização do acesso para pessoas de mais baixa renda e em localidades menores tenha um caráter positivo, o lado negativo é de que nós vamos a pagar a conta e não se garante a qualidade do serviço. Outros países conseguiram isto pela própria acomodação do mercado, mas no Brasil isto não é possível no curto e médio prazo, talvez nem no longo.

Então são dois problemas distintos: internet mais barata na área em que já há cobertura, o que é plenamente realizável a curto prazo e sem muito esforço, e expandir a internet de banda larga para os locais sem estrutura física instalada, o que é caro e demorado.

Na minha opinião, tem que ser feito. Só que não é prioritário. Faz-se uma cobertura para 80% da população com tarifas mais baixas e um serviço meio capenga. Os outros 20% se aguarda, políticas de incentivo pouco agressivas. Não dá para ter cobertura 100%. Imagina puxar os cabos por 20km para alcançar uma fazenda com 10 pessoas. É dinheiro jogado fora. Quem mora no meio do mato tem vantagens e desvantagens. Se disser que a cobertura é para as zonas urbanas, aí eu acho justo, só que vai ficar caro para instalar um DSLAN numa cidade de 1000 habitantes.

Vai depender das prioridades do próximo governo.
ralole
Pessoal, eu assinei a banda larga popular da net e tenho algumas considerações


realmente para baixar arquivos pesados e ver vídeos na internet é um pouco sofrido, mas para usar o Skipe funciona bem.

Claro que queria contratar uma internet com 8 mega de velocidade, mas tem alguns pormenores.
No caso da Net tem a franquia de uso. Se vc excede a sua cota eles cortam a sua velocidade.
Na telefonica não tem pacote de franquia, mas aquele negócio vive dando bug nas horas de maior acesso.
Se vc for pra net via rádio, além deles monitorarem o que vc acessa, ainda por cima reduzem a sua banda sem seu consentimento se vc utilizar algum p2p.

esses foram problemas que eu passei quando tinha mais grana e tinha acesso a esses tipos de internet.

Pra mim (que estou quebrado agora), a net popular esta salvando. Melhor que usar a discada.

Espero que um dia ela chegue a pelo menos 1 mega, dá vai dar pra fazer as coisas sem ter que esperartanto pra carrega.
cparakawa
Acesso à internet no Brasil tem muito o que evoluir. Não é só questão de preço. Área de cobertura e qualidade de serviço não são boas, com a exceção de uma minoria afortunada. Como a campanha eleitoral começa a pleno vapor agora, o assunto congela. Campanha, eleição, composição de governo, posse e implantação de prioridades. Então, quem sabe, daqui uns 2 anos o assunto volta à discussão. Confused
Related topics
<hr> stilosi con i CSS
PHP: Feedback form issues.. help =P
Dominios registados e o Frihost
[Contas] Saiba tudo sobre a frihost
frihost fora do ar?
Paypal E-Mail Scam
Segredos da microsoft
I'm moving to a new TLD, can I make it point here?
[Música] Estudo sério sobre o estilo musical EMOCORE
Need Help with this html code
Nacionalismo-Brasil(serve para todos os outros países)
[TUTORIAL]Ragnarok Server
[suporte] E-mail não envia e não recebe???
Crise Mundial - Até que ponto vc sabe o tamanho do problema
Reply to topic    Frihost Forum Index -> Language Forums -> Portuguese

FRIHOST HOME | FAQ | TOS | ABOUT US | CONTACT US | SITE MAP
© 2005-2011 Frihost, forums powered by phpBB.